Huffpost Brazil

Afinado com Temer, Senado libera R$ 117,7 bilhões para governo gastar como quiser

Publicado: Atualizado:
RENAN E TEMER
Wilson Dias/Agência Brasil
Imprimir

O Senado aprovou, em dois turnos, a proposta de emenda à Constituição que desvincula 30% das receitas da União (DRU), estados e municípios até 2023, obtidas com imposto, taxas e contribuições, excluídos os gastos com saúde e educação.

Isto significa que o Congresso liberou para que sejam gastos livremente R$ 117,7 bilhões que estavam presos para serem investidos em áreas específicas.

Com efeito retroativo a 1º de janeiro deste ano, a proposta é uma das medidas que o presidente em exercício, Michel Temer, conta para retomada da economia brasileira. Desde que assumiu o comando do País, ele tem se empenhado em aprovar o texto o mais rápido possível. A DRU tinha perdido a validade em dezembro do ano passado.

DRU

De acordo com o relatório do senador José Maranhão (PMDB-MA), o montante total de R$ 117,7 bilhões, porém, não deve ser alcançado integralmente por causa da crise econômica.

A previsão, segundo ele, era de que seriam liberados R$ 110,9 bilhões das contribuições sociais, R$ 4,6 bilhões da contribuição de intervenção no domínio econômico (Cide) e R$ 2,2 bilhões de taxas.

Segundo o economista Raul Velloso, a DRU permite que o dinheiro do governo seja redistribuído da maneira que o governo achar melhor.

“Os impostos todos têm algum tipo de amarração e só podem ser usados para tal setor. Tem imposto que é completamente amarrado. O que a DRU faz é liberar um percentual dessa obrigação. No caso do projeto aprovado pela Câmara, o percentual é de 30%.”

Tramitação

Um acordo permitiu que os dois turnos da DRU fossem votados nesta quarta-feira (24). Governo e oposição concordaram em romper o interstício com a garantia de que o reajuste da Defensoria Pública da União também fosse votado nesta quarta-feira.

LEIA TAMBÉM:

- O que é a DRU, o que o governo Temer quer e como isso pode afetar você

- Desengessou! Câmara aprova liberação de R$ 121 bi para governo

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Itens que pressionaram a inflação em 2015
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção