Huffpost Brazil

MC Carol presta queixa sobre ataques racistas: 'Espero que a justiça seja feita!'

Publicado: Atualizado:
MC CAROL
MC Carol foi à polícia denunciar racismo | Reprodução/Facebook
Imprimir

MC Carol foi vítima de ataques racistas na internet esta semana, mas resolveu não deixar barato!

Na manhã desta sexta-feira (26), a cantora foi prestar queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) no Rio de Janeiro.

Antes de sair de casa, Carol publicou no Facebook um agradecimento a todo o apoio que teve nas redes. Ao final do texto, ela ainda cita uma frase muito emblemática da feminista negra estadunidense Audre Lorde: "O silêncio não vai te proteger".

De acordo com o Ego, depois denunciar os ataques, ela conversou com a imprensa e deu detalhes sobre o que aconteceu:

"Espero que eles sejam punidos, que a justiça seja feita. Os ataques começavam sempre por volta das 21h. Eu já sofri preconceito antes e chega! Estou aqui para representar não só o que aconteceu comigo, mas com todo o pessoal da minha comunidade. Acontece diariamente, indiretamente ou diretamente, e a gente não faz nada, a gente deixa pra lá. Mas dessa vez eu resolvi fazer."

Não é um caso isolado

Não é a primeira vez que a artista é alvo desse tipo de comentário. Em 2014, no início da carreira, ela recebeu uma enxurrada de mensagens hostis e racistas, mas decidiu não levar o caso adiante.

No Código Penal, o crime racial prevê pena de reclusão de 2 a 5 anos e multas, além de prestação de serviços à comunidade, incluindo atividades de promoção da igualdade racial.

MC Carol, infelizmente, faz parte de um grupo juntamente com outras mulheres, como Preta Gil, Maju Coutinho, Taís Araújo e Cris Vianna, que já sofreram ataques similares recentemente na internet.

A recorrência destes casos com mulheres negras que são figuras públicas só demonstra como o racismo é um problema estrutural do Brasil -- e do mundo -- e acontece no cotidiano de todas as pessoas negras, ora de forma velada, ora desse modo escancarado e agressivo.

LEIA MAIS:

- Não é vitimismo, é racismo

- Por que eu sou racista

- O Brasil perdoa o racista e condena o negro

Também no HuffPost Brasil

Close
6 exemplos do poder da representatividade do negro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção