Huffpost Brazil

Temer teme que atraso na votação do impeachment atrapalhe viagem dele à China

Publicado: Atualizado:
MICHEL TEMER
Michel Temer deve adiar viagem para a Ásia | Beto Barata / PR
Imprimir

Diante da expectativa de que a votação do impeachment aconteça na quarta-feira (31) e não mais na madrugada desta terça-feira (30), o presidente em exercício, Michel Temer, pensa em reagendar compromissos previstos na Ásia.

A previsão anterior era que o interino viajasse até o início da noite de quarta para a reunião do G-20 na China, no caso de confirmação do impedimento definitivo da presidente afastada, Dilma Rousseff.

Se a petista for afastada definitivamente, Temer terá de participar de uma cerimônia no Congresso, em que assumirá o comando do País.

Ao iniciar a sessão no Senado na manhã desta terça-feira (30), o o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski afirmou que pretende encerrar os debates ainda hoje, mesmo que entrem pela madrugada, e realizar a votação amanhã, pela manhã.

A rota de Temer para a Ásia de cerca de 30 horas passa pela Ilha do Sal, em Cabo Verde; Praga, na República Tcheca; e Astana, capital do Cazaquistão.

O peemedebista chegaria na China na sexta-feira (2), onde participaria de um seminário com empresários e de um encontro com o presidente chinês, Xi Jinping.

Para sábado (3), estão previstas reuniões com os primeiros-ministros da Espanha e Itália e com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, além do diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo. A reunião de líderes das 20 maiores economias acontece nos dias 4 e 5 de setembro.

O Planalto avalia adiar o encontro com o presidente chinês para sábado. Em outra linha de frente, interlocutores de Temer pediram a senadores da base que se abstenham dos 10 minutos de discurso a que têm direto.

Na comitiva para a Ásia, está confirmada a presença dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e José Serra (Relações Exteriores) e do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

De acordo com a Folha de São Paulo, os deputados Beto Mansur (PRB-SP), Pauderney Avelino (DEM-AM), Fábio Ramalho (PMDB-MG) e Altineu Cortês (PMDB-RJ) também estão entre os convidados.

LEIA TAMBÉM

- 'Era pelo conjunto da obra que militantes eram torturados' diz Cardozo em defesa final de Dilma

- Gleisi e Aécio batem boca no Senado após discurso de Janaina Paschoal

- Reale Júnior critica defesa de Dilma e diz que senadores vão fazer 'a mais clara justiça'

Também no HuffPost Brasil:

Close
Impeachment de Dilma Rousseff
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção