Huffpost Brazil

'Charlie Hebdo' passa dos limites e ironiza terremoto na Itália

Publicado: Atualizado:
CHARGE CHARLIE
Reprodução/Twitter
Imprimir

O jornal satírico francês "Charlie Hebdo" publicou nesta sexta-feira (2) uma sátira com as vítimas do terremoto ocorrido na região central da Itália no último dia 24 e causou revolta entre os italianos.

Na imagem intitulada "Terremoto à italiana", a publicação mostra um desenho de um homem ensanguentado, chamando-o de "penne ao molho de tomate", uma mulher machucada, definindo-a como "penne gratinado", e uma pilha de corpos ensaguentados, à qual o jornal chamou de "lasanha".

A charge está na última página da publicação, que tem na capa uma sátira ao "burkini", o traje de banho que cobre o corpo todo, e cita mais uma vez o sismo italiano. "Cerca de 300 mortos em um terremoto na Itália. Ainda não se sabe se o tremor gritou 'Allah Akbar' antes de começar", escreveu o periódico ao citar a tradicional frase dita por terroristas antes e realizarem ataques.

O prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi, repudiou a imagem e pediu que os mortos sejam respeitados. A cidade registrou 232 das 293 vítimas fatais da tragédia e foi a mais danificada em suas estruturas.

"Mas que ca** fazer uma charge sobre os mortos. Tenho certeza que essa sátira desagradável e embaraçante não corresponde ao verdadeiro sentimento dos franceses. Tudo bem ser irônico, mas sobre a desgraça e a morte não se faz piada", desabafou Pirozzi.

Apesar de rivais na política, representantes de todos os grandes partidos políticos da Itália criticaram o uso dos mortos da tragédia pelo "Charlie Hebdo".

O deputado Michele Anzaldi, da sigla governista Partido Democrático (PD), afirmou que a charge "é vergonhosa e indigna".

"Como o mundo inteiro não esperou um segundo sequer para exprimir proximidade, assim esperamos que a França, a partir de suas instituições, tome distância de uma sátira que renova a dor em tantas famílias", adicionou.

A líder do partido Fratelli D'Italia, Giorgia Meloni, escreveu em seu Facebook que a sátira "não prova risos, não é inteligente, sequer pode ser considerada um 'humor negro'. É apenas feia e feita por algum cretino".


Barbara Saltamartini, a vice-líder do partido Liga Norte, o mais à direita da política italiana, afirmou que o desenho "foi ignorante e ofensivo aos nossos mortos do terremoto. Isso não é sátira, mas é um lixo".

Já a deputada do Força Itália - do ex-premier Silvio Berlusconi -, Elvira Savino, chamou a charge de "triste e vulgar".

LEIA MAIS:

- Papa receberá cão que ajudou a resgatar vítimas de terremoto

- Papa Francisco deve visitar vítimas de terremoto na Itália

- Bombeiro deixa carta emocionante para criança que morreu no terremoto na Itália

Também no HuffPost Brasil

Close
Capas Polêmicas da Charlie Hebdo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção