Huffpost Brazil

Oscar 2017: Estes são os 16 filmes que disputam a indicação brasileira

Publicado: Atualizado:
SONIA BRAGA AQUARIUS
Sonia Braga em cena do drama 'Aquarius' (2016) | Divulgação
Imprimir

O Ministério da Cultura (MinC) divulgou nesta segunda-feira (5) a lista de filmes selecionados para a disputa nacional por uma vaga no Oscar 2017.

Foram escolhidos pela comissão do MinC 16 títulos brasileiros – entre os quais está Aquarius, de Kleber Mendonça Filho. A obra de tem gerado forte discussão política e, até agora, tem um complicado relacionamento com o Governo Federal.

Quando o drama foi exibido no Festival de Cannes, em maio, diretor e elenco protestaram no tapete vermelho contra o governo de Michel Temer (PMDB), dizendo que o País está passando por um “golpe”.

Em agosto, o jornalista Marcos Petrucelli, publicamente avesso à obra do diretor pernambucano, foi chamado para se juntar à comissão do Oscar do MinC.

No mesmo mês, Aquarius recebeu do Ministério da Justiça a classificação indicativa de 18 anos, por conter cenas de sexo e de uso de drogas. A equipe protestou novamente, assim como várias pessoas nas redes sociais.

Os cineastas Anna Muylaert e Gabriel Mascaro, contrários à decisão, retiraram seus longas, Mãe Só Há Uma e Boi Neon, respectivamente, da disputa pela vaga de melhor filme estrangeiro no prêmio da Academia.

No dia da estreia, 1º de setembro, o governo retrocedeu e atribuiu a Aquarius a classificação 16 anos.

Veja abaixo a lista completa de selecionados:

  • Até que a Casa Caia, de Mauro Giuntini;
  • Aquarius, de Kleber Mendonça Filho;
  • A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade;
  • Campo Grande, de Sandra Kogut;
  • Chatô – O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes;
  • O Começo da Vida, de Estela Renner;
  • A Despedida, de Marcelo Galvão;
  • Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior;
  • Mais Forte que o Mundo, de Afonso Poyart;
  • Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de José Belisario Cabo Penna Franca;
  • Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner;
  • O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum;
  • Pequeno Segredo, de David Schurmann;
  • O Roubo da Taça, de Caito Ortiz;
  • Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado;
  • Vidas Partidas, de Marcos Schetchman.

A Hora e a Vez de Augusto Matraga, dirigido por Vinícius Coimbra, foi inabilitado por ter sido exibido nos cinemas fora do período requisitado pela Academia (1° de outubro de 2015 a 30 de setembro de 2016).

Alfredo Bertini, secretário do Audiovisual do MinC, disse ao site do Ministério: "No ano passado, houve nove filmes inscritos. Já este ano foi quase o dobro".

No último sábado (3), o MinC anunciou os nomes da Comissão Especial que seleciona os filmes. Além de Petrucelli, estão: Adriana Rattes, Luiz Alberto Rodrigues (Beto Rodrigues), George Torquato Firmeza, Guilherme Fiuza Zenha, Ingra de Souza Liberato, Paulo de Tarso Basto Menelau, Silvia Maria Sachs Rabello e Sylvia Regina Bahiense Naves.

No dia 12 (segunda-feira), será divulgada a obra escolhida para disputar com outros países.

LEIA MAIS:

- 'Aquarius' tem grande peso político e causa necessário mal-estar. É o filme brasileiro do ano

- História real, Lupita e música de Alicia Keys: Estamos ansiosos para 'Rainha de Katwe'

- Descobriram o que Thor estava fazendo enquanto os Avengers lutavam em 'Capitão América: Guerra Civil'

Também no HuffPost Brasil:

Close
9 mulheres fundamentais para o cinema brasileiro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção