Huffpost Brazil

Hillary Clinton fala sobre machismo e pressão por ser mulher ao 'Humans of New York'

Publicado: Atualizado:
HILLARY CLINTON
Reprodução/Facebook
Imprimir

O projeto fotográfico Humans Of New York, criado por Brandon Stanton, é conhecido por compartilhar histórias inspiradoras, divertidas e reflexivas dos moradores da Big Apple.

A personagem desta quinta-feira (8) é uma figura notável dos Estados Unidos. Em depoimento ao site, Hillary Clinton compartilhou um dos momentos em que ela mais sentiu a pressão de ser mulher e a força do machismo.

No relato, a candidata a presidência dos EUA relembra o dia em que foi prestar a prova de admissão em Harvard e teve de lidar com comentários ofensivos dos candidatos homens. Ela e sua amiga eram as únicas mulheres na sala.

"Estava nervosa. Era formada na faculdade, mas não sabia como me sairia. Enquanto esperávamos para começar, um grupo de homens começou a gritar para nós coisas como 'Vocês não precisam estar aqui', 'Existe muitas outras coisas que vocês podem fazer'. Foi uma verdadeira pressão. Um até disse 'Se vocês tirarem meu lugar, serei convocado para a guerra, irei ao Vietnã e morrerei'. E não estavam brincando. Era intenso. Muito pessoal", relembra.

De acordo com a candidata democrata, ela estava ciente de que sua reação aos comentários poderia parecer "indiferente, fria ou sem emoção".

Eu sei que posso ser percebida como indiferente, fria ou sem emoção. Mas eu tive que aprender como uma jovem mulher a controlar minhas emoções. E isso é um caminho difícil. Porque você precisa fazer isso para se proteger, você precisa se manter firme, mas, ao mesmo tempo, você não quer parecer isolada.

É comum ver mulheres que adotaram uma postura mais dura ao exercer cargos considerados majoritariamente masculinos. Ao reviver suas memórias, Clinton fez uma análise com a imagem generalizada que a opinião pública tem sobre ela: de que não seria espontânea ou afável.

"Se criei essa ideia, assumo a responsabilidade. Não me vejo como fria, nem meus amigos ou minha família. Mas, se assim que me veem, não posso culpar as pessoas por pensarem assim."

Em outra parte da entrevista, Hillary Clinton fala sobre as comparações comumente feitas entre Barack Obama, Bill Clinton e ela:

"Eu não sou Barack Obama. Eu não sou Bill Clinton. Ambos vestem-se com uma naturalidade que é muito atraente para o público. Mas eu sou casada com um e eu trabalhei para o outro, então eu sei o quão duro eles trabalham para apenas ser natural."

E completou:

"Não tem jeito, mulheres são vistas com uma lente diferente. É um fato. Eu aprendi que não posso ser tão apaixonada em minhas apresentações."

Hillary fez história ao ser a primeira mulher a ser escolhida candidata presidencial por um dos grandes partidos. Venceu as eleições primárias nas disputas entre os outros pré-candidatos, entre eles o senador Bernie Sanders, que atraiu o voto progressista e jovem do partido e no final se uniu à sua campanha.

LEI MAIS:

- Hillary Clinton DETONA Donald Trump por comentários sobre Segunda Emenda

- 'Que mulheres e meninas dos EUA tenham as oportunidades que merecem'. Hillary Clinton é nomeada candidata democrata

Também no HuffPost Brasil

Close
#PorTodasElas: Elas dizem NÃO ao machismo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção