Huffpost Brazil

Temer demite chefe da AGU e convida Grace Mendonça para o cargo

Publicado: Atualizado:
MICHEL TEMER
Montagem/STF/GettyImages
Imprimir

O presidente Michel Temer demitiu nesta sexta-feira (9) o até então advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, do cargo. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto.

A demissão foi provocada após um desentendimento entre Osório e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que teria ele mesmo demitido o chefe do AGU.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Padilha reclamou que o Osório pediu para ter acesso aos inquéritos de políticos envolvidos na Operação Lava Jato sem passar pelo crivo do presidente da República ou sua cúpula.

Osório, no entanto, não aceitou a demissão vinda de Padilha, e disse que só quem poderia demiti-lo seria o presidente Temer.

"Não existe justificativa, há uma escolha política", disse Osório à Folha de S.Paulo, que contou ter sido demitido por telefone. "Temer agradeceu pelos serviços prestados e disse que, em função da conversa com Padilha, ficou inviável", afirmou.

Para o lugar de Osório, o governo convidou Grace Mendonça, servidora da AGU desde 2003. "O presidente Michel Temer convidou hoje para ocupar o honroso cargo de Advogado-Geral da União, a doutora Grace Maria Fernandes Mendonça, distinta profissional e servidora de carreira daquele órgão. O presidente agradece os relevantes serviços prestados pelo competente advogado doutor Fábio Medina Osório, que deixa o cargo", diz a nota divulgada pelo Palácio.

Com isso, o presidente Temer pode finalmente conseguir nomear uma mulher como ministra em seu governo. Desde que assumiu interinamente o cargo, ele vem sendo criticado pela falta de participação de mulheres em altos cargos.

Para assumir a pasta da Cultura, Temer chegou a convidar nada menos que cinco mulheres. Todas recusaram o convite. O posto acabou ficando para Marcelo Calero.

LEIA MAIS:

- Reforma trabalhista de Temer permitirá jornada de trabalho de até 12 horas diárias

- Com Suplicy na linha de frente, manifestantes fazem ato contra Temer