Huffpost Brazil

Combates se espalham por Aleppo horas após acordo de paz na Síria

Publicado: Atualizado:
SIRIA
Militares atacam Idlib, cidade controlada por rebeldes | REUTERS/Ammar Abdullah
Imprimir

Combates se alastraram pelo sul da cidade síria de Aleppo neste sábado (10), disseram rebeldes e o exército, horas depois de os Estados Unidos e a Rússia saudarem um acordo para colocar o processo de paz na Síria de volta nos trilhos.

O exército atacou áreas controladas pelos rebeldes, tentando maximizar os ganhos recentes antes de um novo cessar-fogo nacional entrar em vigor na próxima segunda-feira (12). Os insurgentes disseram que estavam planejando uma contraofensiva.

Anos de luta na cidade dividida do norte do país --a maior da Síria antes da guerra civil-- já mataram milhares de pessoas e deixaram moradores em dificuldade para encontrar água e comida. A violência na cidade minou os esforços de paz anteriores.

O exército e as milícias pró-governo avançaram a partir da de área de Ramousah em direção a bolsões rebeldes no distrito Amiriyah, disseram ambos os lados.

"Os combates estão ocorrendo em todas as frentes do sul de Aleppo, mas os confrontos em Amiriyah são os mais pesados", disse o capitão Abdul Salam Abdul Razak, porta-voz militar das brigadas rebeldes Nour al-Din al Zinki.

Vitórias recentes do governo em Ramousah reabriram a rota principal de acesso no oeste da cidade, controlado pelo governo, e permitiram que as forças que apóiam o presidente Bashar al-Assad cercassem o leste da cidade, controlado pelos rebeldes.<

Os Estados Unidos e a Rússia, apoiando lados opostos na guerra, anunciaram um acordo nas primeiras horas deste sábado, incluindo um cessar-fogo de âmbito nacional em vigor a partir do pôr do sol na segunda-feira, melhorias no acesso da ajuda e ataques conjuntos a grupos de militantes islâmicos proibidos.

LEIA MAIS:

- Omran Daqneesh: Esta é a face mais cruel da guerra da Síria. Mas não é a única

- Atentados na Síria matam dezenas e negociações entre EUA e Rússia para cessar-fogo fracassam

Também no HuffPost Brasil

Close
Refugiada fugiu da Síria nadando e foi à Rio 2016
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção