Huffpost Brazil

Teori nega pedido de prisão de Cunha e manda processo das contas na Suíça para Moro

Publicado: Atualizado:
TEORI CUNHA
Montagem/Agência Brasil
Imprimir

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou nesta quarta-feira (14) que a ação penal em que o ex-deputado Eduardo Cunha é acusado de ter contas não declaradas no exterior seja remetida ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça. A medida foi tomada porque Cunha perdeu foro privilegiado ao ser cassado pela Câmara dos Deputados.

Em outra decisão, Zavascki negou pedido de prisão do ex-deputado, feito em junho pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Na decisão, o ministro entendeu que a medida não tem mais cabimento após a cassação do deputado.

A outra ação penal na qual Cunha é acusado de receber US$ 5 milhões de propina em um contrato de navios-sonda da Petrobras será remetida para segunda instância da Justiça Federal no Rio de Janeiro. No processo, também é ré a ex-deputada e prefeita de Rio Bonito (RJ), Solange Almeida. Como a prefeita tem foro privilegiado, caberá ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) julgar o caso.

LEIA TAMBÉM:

- Por que Cunha só foi afastado depois do impeachment de Dilma?

- Quem são os 42 deputados que NÃO apareceram na sessão que cassou Cunha

- Cassação vem com avalanche de notícia negativa para Cunha

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Os defensores de Eduardo Cunha
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção