Huffpost Brazil

Garota de 10 anos publica livro de ilustrações em homenagem aos refugiados

Publicado: Atualizado:
GAROTA
Reprodução/Facebook
Imprimir

Sophia Maia nunca foi testemunha dos horrores da guerra, mas bastou assistir às cenas da televisão para entender que a situação vivida pelas famílias refugiadas também é responsabilidade dela.

A garota de apenas 10 anos estava com a mãe na sala de sua casa, em Recife (PE), quando viu a reportagem que mostrava cenas de uma menina refugiada desembarcando na ilha de Lesbos, no litoral da Grécia, com apenas um objeto: uma boia.

“O fato de ela ser mais ou menos da minha idade fez com que eu me identificasse. São pessoas que tinham uma vida feliz, emprego, casa e, de repente, acabou tudo", contou Sophia em entrevista ao site do Instituto de Reintegração dos Refugiados (Adus).

O sentimento de empatia tomou conta da garota que resolveu por no papel a cena que assistiu no aparelho. Nascia assim a imagem que é capa do livro Imaginário: A Arte Solidária de Sophia, lançado na Bienal do Livro, em São Paulo.

Antes de ganharem capa e título, as ilustrações viraram uma exposição em Recife, em dezembro de 2015. No primeiro dia do evento, 38 dos 41 quadros originais foram vendidos e o lucro obtido pela garota foi completamente doado para a Adus de São Paulo.

Meses depois, Sophia veio para a cidade e conheceu os personagens de seus desenhos na vida real. Impactada com a situação dos refugiados na capital, ela resolveu dedicar o seu livro a duas meninas que conheceu na visita e que se tornaram suas amigas: Jessy, do Congo, e Gawa, da Síria.

Da representação de uma família que viaja do Iraque à Alemanha, às mulheres sírias, até os barcos de refugiados cruzando o mar e um barbeiro barbudo chamado Yousseff, são diversas as cenas que compõem as ilustrações da pequena artista - algumas delas em páginas destacáveis, para serem feitas de posters.

E, assim como aconteceu com a mostra, o dinheiro arrecadado com a venda dos livros será direcionado à instituição de amparo aos refugiados. Mas, dessa vez, será revertido para a Adus de Curitiba.

“Parecia que eu a conhecia há muito tempo. Logo começamos a brincar”, contou a garota em entrevista à Adus sobre o primeiro encontro com Jessy.

De olho no futuro, Sophia se orgulha do impacto que suas ilustrações conseguiram causar e já tem em mente novos projetos:

“Quero começar logo um projeto para ajudar crianças que nasceram com microcefalia. É um problema bem grande em Pernambuco", contou ementrevista à Folha.

Enquanto o próximo não chega, o livro Imaginário pode ser adquirido diretamente na sede da Adus em São Paulo ou pelo email do projeto.

LEIA MAIS:

- Cate Blanchett e outras celebridades fazem leitura de poema em prol dos refugiados (VÍDEO)

- Voluntários transformam fábrica abandonada em lar de 700 refugiados na Grécia

- Na busca por sobrevivência, como ficam as emoções dos refugiados?

Também no HuffPost Brasil

Close
Equipe Olímpica de Atletas Refugiados
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção