Huffpost Brazil
Marcella Fernandes Headshot

Colégio tradicional do Rio, Pedro II libera uso de saias para meninos

Publicado: Atualizado:
COLEGIO PEDRO II
Reprodução / Facebook
Imprimir

O tradicional Colégio Pedro II, escola federal fundada em 1837, aboliu a distinção do uniforme escolar por gênero, o que permite meninos usarem saias.

A medida foi consolidada por meio da Portaria nº 2.449/2016, que trata das Normas e Procedimentos Discentes, e atende aos parâmetros da Resolução nº 12 do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT).

“Procuramos de alguma maneira contribuir para que não haja sofrimento desnecessário entre aqueles que se colocam com uma identidade de gênero diferente daquela que a sociedade determina. Creio que a escola não deve estar desvinculada de seu tempo e momento histórico. A tradição não importa em anacronia, mas pode e deve significar nossa capacidade de evoluir e de inovar” defendeu o reitor Oscar Halac.

Em setembro de 2014, alunos do Pedro II fizeram uma manifestação e lançaram o movimenot #VouDeSaia após uma aluna transgênero ser proibida pela direção de ir de saia à escola.

Com quase 13 mil alunos, o colégio conta com 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias.

De acordo com a resolução do CNCD/LGBT, instituições de ensino devem garantir o reconhecimento e adoção do nome social a quem a identificação civil não refletir "adequadamente a identidade de gênero, mediante solicitação do próprio interessado".

O documento também garante o uso de banheiros e vestiários de acordo com a identidade de gênero de cada sujeito, além do uso do uniforme de acordo com a identidade de gênero.

LEIA TAMBÉM

- ASSISTA: Jean Wyllys enfrenta os 'homens de bem' em trailer de documentário

- Na Argentina, Cinema agora faz parte do currículo de escolas infantis!

- ‘Transparent' e os discursos poderosos sobre visibilidade trans no palco do Emmy 2016

Também no HuffPost Brasil:

Close
3 crianças venderam limonada na Parada LGBT para ajudar vítimas de Orlando
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção