Huffpost Brazil

‘Irrelevante': Serra minimiza protesto das seis delegações contra Temer na ONU

Publicado: Atualizado:
JOSE SERRA
EVARISTO SA via Getty Images
Imprimir

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, minimizou o protesto de integrantes de seis delegações que não esperaram o presidente Michel Temer discursar na Assembleia da ONU, em Nova York. Para Serra, o impacto da manifestação é “próximo a zero”.

"Sinceramente, eu não vi. E não acho relevante. (…) A ONU tem 200 países, então, não me parece uma porção significativa", disse, segundo o Valor Econômico.

Deixaram o plenário da ONU, as delegações do Equador e da Venezuela. Também deixaram o plenário representantes de Costa Rica, Bolivia, Cuba e Nicarágua, segundo a rede de televisão TeleSur, multiestatal financiada pelos governos da Venezuela, Cuba, Argentina e Uruguai.

O movimento foi interpretado como forma de mostrar insatisfação com o impeachment de Dilma Rousseff. Assim que o impeachment foi confirmado, o governo da Venezuela, Bolívia Equadro e Cuba anunciaram que iriam convocar seus embaixadores no Brasil.

Na ONU, Temer defendeu a legalidade do impedimento de Dilma, sem citar a palavra impeachment.

"O Brasil acaba de atravessar processo longo e complexo, regrado e conduzido pelo Congresso Nacional e pela Suprema Corte brasileira, que culminou em um impedimento. Tudo transcorreu dentro do mais absoluto respeito constitucional. O fato de termos dado esse exemplo ao mundo implica que não há democracia sem Estado de direito – sem normas que se apliquem a todos, inclusive aos mais poderosos.”

Para Serra, a fala de Temer foi uma “cortesia” aos países que integram a ONU.

LEIA TAMBÉM:

- Delegações da Venezuela e Equador deixam plenário da ONU antes de fala de Temer

- Em discurso na ONU, Temer diz que impeachment é exemplo de democracia para o mundo

- Em discurso na ONU, Temer confunde dados de refugiados e é alvo de críticas

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Temer e líderes mundiais
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção