Huffpost Brazil

Deixem Jennifer Aniston fora do drama do divórcio de Brad Pitt e Angelina Jolie

Publicado: Atualizado:
BRAD PITT ANGELINA JOLIE
Jolie e Pitt no WSJ Magazine Innovator Awards de 2015, em Nova York | ASSOCIATED PRESS
Imprimir

Na terça-feira (20), revelou-se que Angelina Jolie teria entrado com um pedido de divórcio de Brad Pitt depois de dois anos de casamento, uma década de namoro e seis filhos juntos. A internet foi enloqueceu. Sites de celebridade cobriram a notícia. E colocaram Jennifer Aniston no meio.

Mas por quê?

Todo mundo conhece a história: em 2003, Brad Pitt conheceu Angelina Jolie no set de Sr. e Sra. Smith (2005) e se apaixonou.

A questão é que ele já era casado com Jennifer Aniston. Surgiram boatos de um caso durante as filmagens, e paparazzi capturaram as últimas fotos de Brad e Jen antes de os dois anunciarem publicamente sua separação, em 2005.

"Gostaríamos de anunciar que, depois de sete anos juntos, decidimos nos separar formalmente. Para aqueles que acompanham esse tipo de coisa, gostaríamos de explicar que nossa separação não é resultado de nenhuma das especulações noticiadas pelos tabloides. Essa decisão foi tomada depois de cuidadosa consideração."
– Brad Pitt e Jennifer Aniston

“Especulações noticiadas pelos tabloides” formam uma questão e tanto nesse famoso “triângulo amoroso”.

Quando Pitt e Aniston se divorciaram, vários veículos começaram a publicar matérias sobre o casamento, a vida sem filhos, as infidelidades de Pitt etc. Parecia que nunca ia acabar. Quando apareceram fotos de Pitt com Jolie e o filho adotivo Maddox em uma praia no Quênia, as coisas só pioraram.

As imagens eram prova, e parecia que Pitt estava começando uma nova família com Jolie – apenas um mês depois de se separar de Aniston. E aí, em janeiro de 2006, um ano depois do anúncio da separação, Pitt e Jolie revelaram que estavam esperando um bebê – Shiloh, a filha que nasceu em maio daquele ano. Ao todo, eles têm seis filhos – Maddox, Pax e Zahara, adotados, e Shiloh e os gêmeos Knox e Vivienne.

Apesar de tantas notícias sobre Pitt, Jolie e a família, Aniston sempre era incluída. Quase dez anos depois da separação, ainda se fala do passado dela com Pitt, como as matérias publicadas quando Pitt pediu Jolie em casamento: O que ela está pensando? Será que ela está triste? Será que vai ser tão feliz quanto eles?

Quando eles se casaram, em 2014, Aniston teve de se esconder, apesar de na época estar noiva de seu atual marido, Justin Theroux.

É claro que a história de Brad/Jen/Angelina é fascinante. É claro que é entretenimento. É claro que é legal achar que os “conhecemos”. Mas não. Não os conhecemos. E é disso que se trata.

Por que temos a necessidade de colocar Aniston em todas as facetas da história de Pitt e Jolie? Por que ela ainda tem de ser parte dessa conversa? Ela está casada e feliz, tem uma carreira de sucesso e orgulho do que conquistou – sim, apesar de não ser mãe.

Em um blog publicado pelo Huffington Post em julho, Aniston se abriu sobre o intenso assédio da mídia e como isso afeta sua vida pessoal e profissional:

“Costumava dizer para mim mesma que tabloides eram como revistas em quadrinhos: não deveriam ser levados a sério, uma novela para as pessoas acompanharem quando precisam de uma distração. Mas não posso mais fazer isso porque a realidade é que a perseguição e a objetificação por que passo há décadas reflete a maneira distorcida segundo a qual calculamos o valor da mulher.”

Ela continuou:

“Com anos de experiência, aprendi que a prática dos tabloides, por mais perigosas que sejam, não vai mudar, pelo menos não tão cedo. O que podemos mudar é nossa conscientização e nossa reação às mensagens tóxicas escondidas nessas matérias aparentemente inofensivas e apresentadas como verdade, que moldam a ideia de quem somos. Podemos decidir o quanto vamos comprar do que nos é apresentado, e talvez um dia os tabloides serão forçados a enxergar o mundo através de lentes diferentes, mais humanizadas, porque os consumidores vão parar de acreditar nesse papo furado.”

Esta é a lição. As celebridades sentem dor, insegurança, culpa, felicidade, tristeza. Elas têm sentimentos, emoções, assim como nós, os observadores. Por que temos a necessidade de colocá-las para baixo, ou então incluir Aniston numa situação com a qual ela não tem mais nada a ver?

O fato é que Brad Pitt e Angelina Jolie são duas pessoas, têm seus filhos e estão se divorciando. Vamos nos concentrar no que é importante aqui: compaixão.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Brad Pitt sobre divórcio: 'O que mais importa agora é o bem-estar dos meus filhos'

- Acreditar no amor não deveria depender de casais famosos

- O divórcio é triste, e não engraçado

Também no HuffPost Brasil:

Close
Relembre casais famosos que não deram certo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção