Huffpost Brazil

Serena Williams faz desabafo sobre tensão racial nos EUA: 'Eu não vou ficar em silêncio'

Publicado: Atualizado:
SERENA WILLIAMS
Kevin Lamarque / Reuters
Imprimir

A estrela do tênis Serena Williams usou seu perfil no Facebook para se posicionar a respeito da tensão racial que vem tomando os noticiários dos EUA nas últimas semanas.

Em um desabafo publicado na rede social, a atleta disse que se calará diante da violência policial contra a população negra de seu país. Ela inicia o texto contando um episódio cotidiano vivido com seu sobrinho, parte para questionamentos sobre o racismo nos EUA e finaliza com uma frase do ícone do ativismo negro Martin Luther King.

"Como o Dr. Martin Luther King disse: 'chega uma hora em que o silêncio é traição'. Eu não vou ficar em silêncio.”

Na última terça-feira (20), Keith Lamont Scott, um homem negro de 43 anos foi morto pela polícia da cidade de Charlotte, na Carolina do Norte, no sul dos EUA. De acordo com a polícia, Scott foi morto a tiros por porque se recusou a largar um revólver. Testemunhas e a família da vítima, no entanto, afirmam que ele carregava um livro – e não uma arma.

O episódio revoltou a população de Charlote, que há uma semana tem tomado às ruas em protestos violentos contra a racismo na conduta policial. Manifestações do gênero tem ocorrido em diferentes regiões dos EUA.

Leia, a seguir, a íntegra do texto de Serena Williams:

Hoje pedi ao meu sobrinho de 18 anos para me levar às minhas reuniões para que eu pudesse trabalhar em meu celular. À distância, vi um policial ao lado da estrada. Rapidamente chequei se ele estava forçando uma parada pelo limite de velocidade. Então me lembrei daquele vídeo horrível da mulher dentro do carro quando um policial atira em seu namorado. Tudo isso passou pela minha cabeça em questão de segundos. Eu até me arrependi de não estar dirigindo. Eu nunca me perdoaria se algo acontecesse com meu sobrinho. Por que eu tenho que pensar sobre isso em 2016? Nós [os negros] não passamos por coisas o suficiente, abrindo tantas portas, impactado milhares de milhões de vidas? Mas eu percebi que devemos seguir em frente - por que não é o quão longe nós chegamos, mas quanto mais longe podemos ir. Eu então me perguntei: "eu dei minha opinião"? Eu tive que olhar para mim mesma. E o meu sobrinho? E se eu tivesse um filho? E sobre as minhas filhas? Como o Dr. Martin Luther King disse: "chega uma hora em que o silêncio é traição".

Eu não vou ficar em silêncio,

Serena.

LEIA MAIS:

- É racismo, sim: Marca de beleza é obrigada a mudar nome de produto para pele negra

- Estes clipes de Common e Nego E propõem reflexão sobre o peso do racismo

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
E se os negros fossem maioria em Hollywood?
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção