Huffpost Brazil

Doria altera item de carta-compromisso contra trabalho escravo

Publicado: Atualizado:
JOO DORIA
NurPhoto via Getty Images
Imprimir

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, João Doria, modificou o item final da carta-compromisso contra o trabalho escravo, enviada para todos os candidatos pela Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo, do Ministério da Justiça.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o candidato tucano alterou o final da carta, no qual afirma que o futuro prefeito da cidade renunciaria ao mandato se fosse encontrado trabalho escravo sob sua responsabilidade ou se ficasse comprovado que alguma vez utilizou mão de obra escrava.

Em vez de assinar a carta sem alteração, como fizeram os candidatos Fernando Haddad (PT) e Luiza Erundina (PSOL), Doria alterou esta parte do texto para:

"Asseguro que serão tomadas todas as providências legais se for encontrado trabalho escravo sob minha responsabilidade ou se ficar comprovado que alguma vez já utilizei desse expediente [mão de obra escrava] no trato com meus empregados."

A carta com a alteração foi assinada e enviada para a comissão. Segundo o advogado do candidato tucano, Anderson Pomini, Doria modificou a carta porque "o texto proposto se apresentava com redação ruim e ilegal" e que ela responsabilizava o novo prefeito eleito por "eventuais falhas da administração anterior."

Marta Suplicy (PMDB) e Celso Russomano (PRB) disseram à reportagem que assinaram o documento e que vão enviar em breve à comissão. Major Olímpio (SD) confirmou o recebimento.

Problemas com a Justiça Trabalhista

O candidato do PSDB foi condenado pela Justiça do Trabalho a indenizar seis ex-seguranças pessoais e de sua família. De acordo com o relato dos seguranças, eles cumpriam uma jornada de trabalho de até 16 horas por dia, chegando a trabalhar 30 dias seguidos, sem descanso.

O candidato defendeu-se dizendo que "já havia pago" as indenizações, mas que a empresa terceirizada contratada não repassou os pagamentos aos trabalhadores.

LEIA MAIS:

- João Doria tem 6 condenações na Justiça do Trabalho por não pagar ex-seguranças

- Datafolha: Doria lidera com 44%. Haddad, Russomanno e Marta estão empatados em 2°