Huffpost Brazil

Lula compara Doria a Collor e diz que não se pode eleger um 'aventureiro sobre o qual não se sabe nada'

Publicado: Atualizado:
LULA
Ricardo Stuckert / Instituto Lula
Imprimir

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparou João Doria, candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo ao ex-presidente Fernando Collor de Mello e disse que o PT irá se fortalecer nessas eleições.

"São Paulo não pode correr o risco de não reeleger um candidato da qualidade de um Fernando Haddad para eleger um aventureiro sobre o qual não se sabe nada. São Paulo não merece isso", disse Lula no final da manhã, em entrevista a jornalistas após votar neste domingo (2), na escola João Ramalho em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Lula disse que os tucanos "são aves que comem os passarinhos de outras aves" e que se fosse candidato a prefeito da capital paulista iria polarizar nacionalmente a disputa.

"O PT ainda vai surpreender muita gente. O PT enfrenta uma crise há anos. Sempre nadou contra a maré. Se enganam aqueles que pensam que podem acabar com o PT", afirmou.

Para o ex-presidente, o momento atual é de "construção de democracia no país". "Tem muita gente que tenta passar a ideia que tem muita eleição no Brasil. Para mim quando mais eleição tiver só ajuda as pessoas a aprender a votar e a corrigir enganos."

Réu por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula disse não acreditar que os fatos investigados pela Operação Lava Jato tenham "tanta influência" sobre as eleições municipais.

Lula cumprimentou e tirou fotos com dezenas de pessoas mas também foi alvo de manifestantes que o chamaram de ladrão.

O petista estava acompanhado da esposa, Marisa Letícia, e do atual prefeito da cidade, Luiz Marinho.

LEIA TAMBÉM

- 'Não importa se a propina alcance milhares ou milhões de reais', diz Moro sobre Lula

- Réu pela 2ª vez: Moro aceita denúncia do Ministério Público Federal contra Lula

Também no HuffPost Brasil:

Close
Eleições de SP em 2016: Debate do SBT
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção