Huffpost Brazil

A política 'sem mochila, sem dever de casa' tem de trazer novas maneiras de educar

Publicado: Atualizado:
Imprimir

criança sem mochila

Ir para a escola sem uma mochila cheia de livros e não ter de fazer dever de casa: Muitas crianças não se cansaram de pedir esse presente para o Papai Noel. Agora, graças a uma diretiva do Conselho Central de Educação Secundária, o que era um desejo pode se tornar realidade para alguns estudantes indianos.

Segundo uma decisão do órgão, crianças de algumas escolas afiliadas ao conselho não terão mais de fazer dever de casa ou levar mochilas para a escola. A medida foi adotada por causa dos problemas ergonômicos apresentados pelos mais jovens.

A imagem de penúria de um menino ou uma menina curvados carregando suas mochilas virou lugar comum.

Muitas vezes invocada para chamara a atenção para o sistema educacional indiano, essa realidade brutal finalmente passou a figurar no radar das autoridades, com um aumento significativo de problemas de saúde entre os mais jovens.

Algumas escolas já adotam livros digitais, usando tablets e telas, mas a imensa maioria dos estudantes ainda não tem acesso a esse luxo.

Há gerações as mochilas pesadas afetam a postura de crianças, o que leva à fadiga e problemas de coluna. O hábito de carregar tantos livros é induzido pelo medo de esquecer de levar o material certo para as aulas.

Psicologicamente, pode ser um desdobramento da necessidade similar de estudar o máximo possível, o que ainda é a marca registrada de um certo tipo de pedagogia na Índia.

As novas regras vão introduzir uma mudança no estilo de vida de meninos e meninas, além de compelir os professores e pais a pensar em novos métodos pedagógicos.

“Acho que é uma medida brilhante”, diz Meeta Sengupta, estrategista de educação e coach. “As crianças dessa idade têm de dormir mais e brincar mais para se desenvolverem de forma saudável.

Os pais podem achar que a lição de casa é necessária, pois é como eles acompanham o progresso na escola, então os professores precisam encontrar novas maneiras de suprir essa lacuna para que os pais continuem apoiando o ensino, mas sem sobrecarregar as crianças.”

A redução da carga de trabalho, portanto, não deveria simplesmente ter o objetivo de aliviar o peso físico sobre as crianças, por causa das questões posturais. A medida também deveria visar uma carga psicológica menor.

Cada vez mais as crianças são incentivadas a competir desde muito cedo em várias áreas, além do currículo acadêmico. O dever de casa, que era parte orgânica da vida diária da criança, agora compete com aulas de música e esportes, que acabam virando mais obrigação que prazer.

A importância de exibir talentos excepcionais em todas as esferas, sejam acadêmicos ou extracurriculares, superam o elemento igualmente importante da alegria e do prazer derivados dessas atividades.

Assim como os professores terão de imaginar novos métodos de ensino, com menos dependência dos livros, uma rotina sem dever de casa também vai forçar os país a lidar com uma nova rotina para as crianças.

A esperança é que a ausência do dever de casa seja uma boa desculpa para que os pais saibam mais sobre as atividades que seus filhos realmente gostam. Em vez de encher a agenda deles com novas habilidades, talvez sejam melhor deixar que elas durmam algumas horas a mais.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost IN e traduzido do inglês.

Viver bem é o tipo de desejo tão universal que se tornou um direito. Mas não há fórmula ou mágica que o garanta, o que deixa, para cada um de nós, a difícil tarefa de descobrir e pavimentar o próprio caminho. A newsletter de Equilíbrio vai trazer a você textos e entrevistas sobre saúde mental, angústias, contradições e alegrias da vida. Assine aqui para receber novidades no fim de semana.

LEIA MAIS:

- Lições valiosas sobre a importância da empatia na escola

- A escola tem papel fundamental na saúde mental de uma criança

- Escola causa polêmica ao orientar pais a deixarem filhos resolver problemas sozinhos

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
30 fotos que mostram a ‘fraude’ dos pais perfeitos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção