Huffpost Brazil

Representatividade cai em 2016 e apenas 12% das prefeituras serão lideradas por mulheres

Publicado: Atualizado:
MULHERES PROTESTO
Carlos Alberto d Alkmin via Getty Images
Imprimir

A representatividade das mulheres na política caiu de 32,6% nas eleições municipais de 2012 para 31,3% no primeiro turno deste ano, de acordo com levantamento da Folha de São Paulo.

A conta considera apenas candidaturas aprovadas ou pendente de julgamento. Parte das mulheres são inscritas pelos partidos apenas para cumprir no papel a cota legal de 30%, mas os nomes acabam não indo às urnas.

De acordo com o jornal, os partidos destinaram proporcionalmente 30% mais recursos os homens em relação ao que foi repassado às mulheres.

Das 5.509 cidades com eleição definida no primeiro turno, apenas 639 terão prefeitas a partir do ano que vem, o equivalente a 11,6%. Há quatro anos, 663 mulheres foram escolhidas para administrar cidades do país, 11,9% do total.

O número de mulheres na disputa pelo Executivo foi similar nos dois pleitos: 2.032 em 2012 e 2.039 neste ano.

De acordo com o último Censo do IBGE, a população feminina representa 51% dos brasileiros.

Nas capitais, oito prefeitos foram eleitos no primeiro turno. Entre eles, apenas uma é mulher: Teresa Surita, do PMDB, eleita em Boa Vista (RR).

LEIA TAMBÉM

- Um dia após eleição, Doria já não garante congelar passagens de ônibus

- Com desilusão de eleitores com PT, PSOL ganha espaço nas eleições de 2016

- 'Testado para 2018': Bolsonaro comemora resultado dos filhos nas urnas

Também no HuffPost Brasil:

Close
Eleições municipais 2016
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção