Huffpost Brazil

Concessionária cobra R$ 500 milhões de Alckmin por metrô atrasado em São Paulo

Publicado: Atualizado:
Imprimir

alckmin subway

Parceira do governo do estado de São Paulo na administração da Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo, a concessionária ViaQuatro, no entanto, não está feliz com o negócio.

Segundo matéria publicada pela Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (14), o governo Geraldo Alckmin (PSDB) tem uma dívida com a empresa que já ultrapassa os R$ 500 milhões.

Tudo em por conta de atrasos do governo na entrega de novas estações para os passageiros. A previsão de entrega em 2008 se arrasta e foi efetivamente feita apenas em 2010 e 2011.

"Fomos prejudicados porque, uma vez que não recebo esse dinheiro, tenho que procurar outros financiamentos para comprar os trens novos, ou seja, há um efeito cascata. A nossa urgência de resolver é porque esse dinheiro afeta diretamente a equação econômico-financeira do contrato", conta ao jornal o presidente do consórcio, Harald Zwetkoff.

A indenização inicial era de R$ 428 milhões, com valores estimados em setembro de 2013. A conta, claro, já inflou bem mais que isso, passando dos R$ 500 milhões.

O valor, aliás, seria suficiente para a construção de 1 km de metrô ou mais de 15 km de corredores de ônibus.

O governo, no entanto, não comentou os gastos e os atrasos nos pagamentos. Disse apenas que os problemas "estão sendo discutidas e avaliadas".

LEIA TAMBÉM:

- Serra e Alckmin são alvos de futura delação de empreiteiros na Lava Jato

- Por abuso de poder, MP pede cassação de Doria e punição a Alckmin

-
Alckmin é denunciado na ONU por violência policial em protestos 'fora Temer'

- Os planos de Alckmin para o Metrô? Privatizar 60% das linhas

Também no HuffPost Brasil

Close
'Escolas de Luta': Retratos das ocupações que sacudiram o Brasil
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção