Huffpost Brazil
Edgar Maciel Headshot

Segundo turno em Belém reedita 2012 e mostra nova polarização entre esquerda e direita no Brasil

Publicado: Atualizado:
BELM
Edmilson, do PSOL, e Zenaldo, do PSDB, disputam Belém | Divulgacão
Imprimir

O segundo turno em Belém será uma reedição da campanha de 2012 na capital do Pará. O atual prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB) concorre contra o ex-prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL), que era do Partido dos Trabalhadores. Edmilson deixou o PT depois das denúncias de corrupção e, hoje, pelo PSOL, começa uma nova rivalidade entre esquerda e direita no Brasil. Sai o número 13, enfraquecido nas eleições de 2016, e entra o número 50 para tentar fazer frente ao 45, do partido que saiu mais fortalecido no pleito deste ano.

No começo da campanha, Edmilson sempre apareceu liderando as primeiras pesquisas na capital paraense. A sombra de nomes mais famosos do partido - como Marcelo Freixo, no Rio, Luiza Erundina, em São Paulo, e Luciana Genro, em Porto Alegre -, atualmente o candidato do PSOL que mais tem chances de vencer a eleição no segundo turno.

Já o atual prefeito Zenaldo Coutinho começou a eleição deste ano na terceira colocação, mas conseguiu virar o jogo na última semana antes do primeiro turno. O candidato tucano obteve 241.166 votos, que representam 31,02% do total, enquanto o candidato do PSOL conseguiu 229.343 votos (29,50%).

Tão logo venceu o primeiro turno, a campanha do tucano foi afetada por uma decisão da Justiça Eleitoral do Pará, que cassou sua candidatura por ter usado propaganda institucional da prefeitura de Belém em suas redes sociais em período proibido por lei. No último dia 21, a mesma justiça suspendeu a decisão depois que o candidato entrou com recurso. O caso ainda será julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

As últimas pesquisas do segundo turno demonstram empate técnico entre os dois candidatos. Segundo o Ibope, Edmilson soma 46% das intenções de votos (pela margem de erro, entre 42% a 50%) e Zenaldo Coutinho tem 43% das intenções (pela margem de erro, entre 49% e 47%). Na última eleição, em 2012, Zenaldo venceu Edmilson com 56% dos votos válidos contra 43,39%.

Alianças

Na eleição passada, o candidato do PSOL foi para o segundo turno em primeiro lugar, mas perdeu de virada para o tucano. Para evitar uma nova derrota, o partido flexibilizou as alianças este ano. Do outro lado, Zenaldo Coutinho tem uma coligação de 15 partidos e apoio do governador Simão Jatene (PSDB).

A coligação atual de Edmilson conta com partidos como PV, PPL e o PDT. Há quatro anos, ele estava aliado apenas com PSTU e PCdoB.

edmilson
Edmilson e o candidato do PMDB, Carlos Maneschy, anunciam a aliança no segundo turno

Neste segundo turno, o candidato do PSOL causou polêmica entre seus eleitores por aceitar apoio do PMDB. Defensor da ideia do "golpe" com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Edmilson apareceu de mãos dados com o candidato derrotado Carlos Maneschy, do grupo do senador Jader Barbalho. "Recebemos mais um apoio! Agora do professor Carlos Maneschy que apoia o ED50 sem ligação partidária."

No Twitter, eleitores questionaram a parceria:

O PSOL afirma que a aliança não foi com o PMDB, mas, sim, com o candidato Maneschy. No Twitter, Edmilson se defendeu:

No domingo, Belém deve ter uma das apurações mais acirradas entre as capitais que foram para o segundo turno. Será um confronto que mostra uma nova polarização na polí­tica brasileira: a chamada nova esquerda, com o PSOL, que assume o protagonismo com a crise polí­tica do PT, e o partido que mais se beneficiou e se fortaleceu no impeachment.

O partido fez dois prefeitos no primeiro turno: João Doria, em São Paulo (SP), com mais de 53% dos votos válidos, e Firmino Filho, em Teresina (PI), com mais de 51%. Os tucanos também foram para o segundo turno em oito capitais: Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Belém (PA), Manaus (AM), Porto Velho (RO) Maceió (AL), Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS). Apenas em duas dessas cidades, o PSDB não sai com vantagem, tendo sido segundo lugar no primeiro turno: Cuiabá e Campo Grande.

Também no HuffPost Brasil

Close
Eleições municipais 2016
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção