Huffpost Brazil

Para acalmar população e conter greve na Venezuela, Nicolás Maduro aumenta salário mínimo em 40%

Publicado: Atualizado:
NICOLAS MADURO
Maduro durante evento no palácio de Miraflores, em Caracas | Carlos Garcia Rawlins / Reuters
Imprimir

Para tentar aplacar os ânimos de uma população cada vez mais insatisfeita e conter uma greve geral convocada para esta sexta-feira (28), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro anunciou um aumento de 40% no salário mínimo no país.

A alta (a quarta de 2016), no entanto, nem de perto cobre a inflação no país, a mais alta do mundo, que deve chegar aos 500% este ano e 1,660% em 2017, segundo o FMI.

Com o anúncio feito na noite de quinta-feira (27), o salário mínimo do país passa a ser de US$ 67, segundo cálculos da CNN.

Maduro também ameaçou tomar as empresas que paralisarem as atividades nesta sexta-feira, durante uma greve convocada pela oposição para forçar a realização de um referendo que tire Maduro do poder. O mandatário também garantiu que vai inspecionar cerca de 700 empresas ao longo do dai de hoje, para se certificar de que elas estão em pleno funcionamento.

"Não vou aceitar nenhum tipo de conspiração. Empresa parada, empresa recuperada pelos trabalhadores e pela revolução", afirmou o presidente, que conta com o apoio das forças militares do país.

Maduro e Diosdado Cabello, outro importante ícone do chavismo, acusam os empresários de alinhamento com a oposição para desestabilizar o governo de Maduro, no poder desde 2013, após a morte de Hugo Chávez.

A crise política da Venezuela chegou ao ápice há uma semana, com a suspensão do processo de referendo para tirar Maduro do poder. Desde então, a oposição vem intensificando os protestos nas ruas, e no Parlamento, de maioria opositora.

Na terça-feira (25), a Assembleia Nacional aprovou a abertura de um julgamento em larga medida simbólico contra Maduro por violar a democracia, mas o governo minimizou o gesto, que disse ser inócuo.

A oposição diz que o governo Maduro deu um golpe de Estado de fato impedindo o referendo revogatório, que pesquisas indicam que o mandatário perderia. Ele diz que são seus oposicionistas que estão tentando derrubar o governo ilegalmente.

(Com informações da Reuters)

LEIA MAIS:

- Parlamento da Venezuela aprova abertura de julgamento de Maduro

- Parlamento venezuelano declara 'ruptura da ordem constitucional'

Também no HuffPost Brasil

Close
Hugo Chávez
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção