Huffpost Brazil

15 filmes dirigidos por mulheres em cartaz na 40ª Mostra Internacional de Cinema de SP

Publicado: Atualizado:
DIVINAS DIVAS
Filme 'Divinas Divas' foi dirigido pela atriz Leandra Leal | Reprodução
Imprimir

A 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo vai até a próxima quarta-feira (2).

São 322 títulos exibidos em 35 lugares diferentes da cidade de São Paulo, como cinemas, espaços culturais e museus.

O evento é uma boa oportunidade para conhecer desde produções assinadas por diretores renomados até os iniciantes e independentes.

As categorias estão divididas entre animação, documentário e ficção, e incluem filmes rodados em 60 países.

Porém, a mostra também não deixa de ser um espelho da indústria cinematográfica. Há uma enorme desigualdade de gênero e representatividade em relação aos diretores contemplados: dos mais de 290 profissionais, apenas 70 são mulheres.

Por isso, separamos 15 filmes dirigidos por mulheres que merecem a sua atenção. Há entre eles o pré-indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro Tempestade de Areia, da israelense Elite Zexer; HEE, da japonesa Kaori Momoi; Um homem insignificante, de Khushboo Ranka, que é da Índia, além dos nacionais O jabuti e a anta, de Eliza Capai, e Divinas Divas, de Leandra Leal.

  • 'Meteor Street', de Aline Fischer (França)
    Reprodução
    Mohammed tem 18 anos. Após fugir da guerra do Líbano para a Alemanha, ele tenta encontrar seu caminho em um mundo de homens: há o rude chefe da oficina de motocicletas onde é ajudante; o colega de trabalho que lhe conta histórias de suas experiências na Legião Estrangeira; e acima de tudo, há Lakhdar, seu excêntrico e imprudente irmão mais velho. Os dois vivem sem os pais na antiga casa da família em Berlin-Tegel. Entre uma situação precária de trabalho e a esperança por um aprendizado, entre casos heróicos sobre camaradagem dos seus parceiros e suas próprias memórias da guerra, entre os bons e cada vez mais alucinados delírios e conselhos de Lakhdar, o jovem palestino se depara com a questão: o que realmente significa ser um homem? Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Sámi Blood', de Amanda Kernell (Suécia)
    Reprodução
    Elle Marja, de 14 anos, é uma garota da etnia sámi. Exposta ao racismo dos anos 1930 e a exames biológicos em seu colégio interno, ela passa a sonhar com outra vida. Para alcançá-la, a jovem tem que se tornar outra pessoa e cortar todos os laços com sua família e sua cultura. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Alba', de Ana Cristina Barragán (Equador)
    Reprodução
    Alba tem 11 anos. Uma tarde, sua mãe é internada no hospital e ela, então, passa a viver com Igor, o pai que ela mal conhece. Os esforços de Igor para se aproximar de Alba, as meninas do colégio e o primeiro beijo são estímulos que marcam sua entrada na adolescência e a aceitação de sua família. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Fukushima, mon amour', de Doris Dorrie (Alemanha)
    Reprodução
    Marie é uma jovem alemã em Fukushima tentando mudar de vida. Ela passa a trabalhar para a organização Clowns4Help, com a qual espera levar alguma alegria para os sobreviventes do desastre nuclear de 2011. Marie logo percebe, no entanto, que não tem muito talento em fazer a tragédia ser menos penosa. Ao invés de ir embora, ela decide ficar com Satomi, última gueixa de Fukushima, que decidiu por conta própria voltar para sua antiga casa em uma área radioativa isolada. Duas mulheres muito diferentes entre si, presas ao passado e que precisam se libertar da culpa e do peso da memória. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Era o hotel Cambridge', de Eliane Caffé (Brasil)
    Reprodução
    Uma criação coletiva entre o MSTC (Movimento Sem Teto do Centro), o GRIST (Grupo Refugiados e Imigrantes Sem Teto) e a Escola da Cidade, o filme narra a trajetória de um grupo de refugiados que divide com os sem-teto uma ocupação no centro de São Paulo. Na tensão diária pela ameaça de despejo, revelam-se pequenos dramas, alegrias e diferentes visões de mundo dos ocupantes. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'O jabuti e a anta', de Eliza Capai (São Paulo)
    Reprodução
    A seca em São Paulo é o ponto de partida da viagem. Inquieta com as imagens dos reservatórios vazios no sudeste do Brasil, uma documentarista busca entender essas obras faraônicas, agora construídas no meio da Floresta Amazônica. Entre os rios Xingu, Tapajós e Ene ecoam vozes de ribeirinhos, pescadores e povos indígenas atropelados pela chegada do chamado desenvolvimento. Um boat movie e uma reflexão sobre os impactos de nossos estilos de vida. Consulte horário e local na programação da mostra
  • '#Minhafuga', de Elke Sasse (Alemanha)
    Reprodução
    O documentário acompanha refugiados da Síria, do Afeganistão e da Eritreia arriscando suas vidas em busca de um pouco de liberdade e segurança. As histórias são contadas pelo olhar dos retratados, por meio das lentes dos celulares que os seguem e de entrevistas que narram suas trajetórias. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'O amor é mais profundo do que a água', de Emily Harris (EUA)
    Reprodução
    Vida é uma violoncelista londrina de classe média que se apaixona por Arthur, um rapaz pobre do País de Gales que trabalha como entregador. A relação dos dois é posta à prova quando eles conhecem as famílias um do outro e são forçados a confrontar suas classes e diferenças culturais. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Encarando meu prato', de Hana Jusic (Croácia)
    Reprodução
    Quando o dominante pai de Marijiana fica muito doente, ela acaba assumindo o papel de líder da família. A garota passa a tomar conta de sua mãe, uma mulher irresponsável, e do irmão mais velho, que tem problemas mentais. Essa nova posição a permite explorar sua força e sexualidade e dá a ela um gosto de liberdade. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'HEE', de Kaori Momoi (Japão)
    Reprodução
    Anos depois de relatar a história da morte dos pais em um incêndio pelo qual se sente culpada, Azusa encontra, mais uma vez, o doutor Sanada, seu antigo psiquiatra japonês. Na época, ela o criticou por não ter feito o trabalho corretamente, enquanto ele deixou escapar que ela não era realmente louca. Hoje, Azusa é uma prostituta vivendo em condições precárias em Los Angeles e acusada de homicídio. Sanada a avalia na presença de um investigador que parece não entender japonês. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Um homem insignificante', Khushboo Ranka (Índia)
    Reprodução
    Um retrato do controverso Arvind Kejriwal, o político mais polarizador da Índia atualmente. Com uma maneira de fazer política considerada anárquica e revolucionária, ele mexeu com as instituições mais poderosas do país ao tratar de questões como água, eletricidade e corrupção, e se tornou o líder de uma nova força indiana, o Partido do Homem Comum. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Divinas Divas', de Leandra Leal (Brasil)
    Reprodução
    Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte Búzios são personagens icônicos da primeira geração de artistas travestis do Brasil que desafiaram a moral de um país no auge da ditadura militar, nos anos 1960 e 1970, em apresentações no Teatro Rival produzidas por Américo Leal, avô de Leandra Leal. O documentário relembra os 50 anos de carreira das travestis no palco e a luta pelos direitos humanos e pelas liberdades individuais no Brasil de ontem e de hoje. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Mañana a esta hora', de Lina Rodriguez (Colômbia)
    Reprodução
    Adelaida é uma garota de 17 anos que vive com os pais em Bogotá, na Colômbia. Sua mãe é organizadora de eventos e seu pai, escultor e professor de arte. Ele não se envolve nas questões domésticas, então, a maior parte das tarefas da casa e dos filhos acaba com Lena, a matriarca, que já trabalha muito. No auge da angústia da adolescência e vivendo uma crise de identidade, Adelaida está constantemente em conflito com Lena: em um minuto é doce, carinhosa e estudiosa; no outro, é feroz, tempestuosa e desafiadora. Até que uma tragédia faz a família se confrontar com o maior desafio que já viveu e a incerteza que o dia de amanhã traz. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Em outro momento', de Nahid Hassanzadeh (Irã)
    Reprodução
    Ghadir, um trabalhador de uma fábrica de produtos químicos, é preso sem direito a julgamento ao protestar contra o pagamento atrasado há mais de um ano. Ele é solto após 12 meses sem nenhuma explicação ter sido dada a respeito de sua detenção. Ao chegar em casa, Ghadir encontra sua filha, Somayeh, que deu à luz um filho fora do casamento. Consulte horário e local na programação da mostra
  • 'Tempestade de Areia', de Elite Zexer (Israel)
    Reprodução
    Durante uma festa de casamento em uma vila de beduínos em Israel, Jalila se vê na embaraçosa posição de ser anfitriã da união do marido com uma segunda mulher muito mais jovem. Durante a celebração, ela descobre o envolvimento da filha mais velha, Layla, com um garoto da universidade —uma relação proibida, que envergonharia a família. Jalila tenta conter a situação, reprimindo a garota, mas Layla quer uma vida diferente para si. Vencedor do Grande Prêmio do Júri na seção World Cinema Dramatic no Festival de Sundance. Consulte horário e local na programação da mostra

LEIA MAIS:

- Anne Hathaway explica por que fingiu felicidade com Oscar

- 'A Garota no Trem': Filme pode empolgar mesmo quem já leu o livro e sabe o fim da história

Também no HuffPost Brasil

Close
14 famosas que defendem que elas ganhem o mesmo que eles
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção