Huffpost Brazil

Bob Dylan quebra silêncio e fala sobre prêmio Nobel: 'Quem não sonha em algo como isso?'

Publicado: Atualizado:
BOB DYLAN
Conhecido por fugir da imprensa, o cantor não havia feito até então nenhum comentário sobre o prêmio | Ki Price / Reuters
Imprimir

O cantor e compositor norte-americano Bob Dylan finalmente quebrou o silêncio de 15 dias e se pronunciou sobre ter sido premiado com o Nobel de Literatura. Em entrevista ao jornal britânico "The Telegraph", Dylan disse que "é difícil acreditar" e que receber a notícia da premiação foi "maravilhoso, incrível. Quem não sonha em algo como isso?".

Dylan disse ainda que pretende comparecer à cerimônia de premiação, "absolutamente, se possível", que acontece no dia 10 de dezembro.

Conhecido por fugir da imprensa, o cantor não havia feito até então nenhum comentário sobre o prêmio de 900 mil dólares, nem respondeu aos telefonemas da Academia Sueca, responsável pela premiação, apesar das repetidas tentativas de contatá-lo desde que o nomearam como vencedor, em 13 de outubro.

O membro da academia Per Wastberg chegou a afirmar que caso Dylan permanecesse em silêncio seria "rude e arrogante". A academia, no entanto, informou que os comentários não refletiam a visão da instituição. Sara Danius, secretária permanente da Academia disse em comunicado:

"O autor premiado com o Prêmio Nobel toma sua própria decisão em relação às cerimônias envolvendo a apresentação do prêmio. A Academia Sueca nunca manteve uma visão sobre as decisões dos vencedores de prêmios neste contexto, nem irá agora, independentemente da decisão alcançada."

O prêmio

A Academia deu a Dylan, de 75 anos, o prêmio por "ter criado novas expressões poéticas dentro da grande tradição de música norte-americana".

Bob Dylan revolucionou a música popular norte-americana com números tais como "Blowin' in the Wind", "The Times They Are A-Changin", "Subterranean Homesick Blues" e "Like a Rolling Stone". Ainda assim, alguns questionaram se seu trabalho se qualifica como literatura. Outros reclamaram que a Academia Sueca perdeu a oportunidade de trazer a atenção a artistas menos conhecidos.

Além do título, Dylan receberá 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,9 milhões). A secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan foi escolhido "por criar uma nova expressão poética na tradicional canção americana". "Como artista, foi altamente versátil e trabalhou como pintor, ator e autor de roteiros", recordou.

Obra

Nascido em Minnesota, Bob Dylan lançou seu primeiro disco, que leva seu nome no título, em 1962. Entre trabalhos de inéditas, coletâneas e registros de shows, ele lançou oficialmente 69 álbuns. O mais recente é Fallen Angles, lançado em 2016.

O primeiro livro de Dylan foi a coletânea de poesias experimentais Tarantula, de 1971. Writings and Drawings foi o segundo. Lançada em 1973, reúne textos e desenhos.

O americano é também autor do best-seller autobiográfico Chronicles : Volume One, de 2004. O projeto inicial dava conta de uma autobiografia com outras duas continuações, ainda não editadas.

As obras dele traduzidas no Brasil são: Tarântula, publicada em 1986 pela editora Brasiliense; Crônicas - Vol.1, publicado em 2005 pela Planeta; Forever Young, lançada em 2009 pela Martins Fontes; e O Homem deu Nome a Todos os Bichos, publicado em 2012 pela Nossa Cultura. Aqui estão os livros de Bob Dylan que serão reeditados no Brasil.

LEIA MAIS:

- Saiba quais livros de Bob Dylan, o Nobel da Literatura, serão lançados no Brasil; Leia trechos

- Adivinha como Eduardo Suplicy reagiu ao Nobel de Bob Dylan?

Também no HuffPost Brasil

Close
Bob Dylan: Através dos tempos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção