Huffpost Brazil

MEC adia Enem para 191 mil candidatos e pode cobrar os custos da nova prova de alunos de ocupações

Publicado: Atualizado:
MENDONA FILHO
Wilson Dias/Agência Brasil
Imprimir

O Ministério da Educação vai adiar a prova de 191.494 mil de candidatos que deveriam fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em uma das 304 escolas listadas que estão ocupadas.

A intenção da pasta é cobrar judicialmente os R$ 90 de cada uma nova prova dos estudantes das ocupações.

O anúncio, feito nesta terça-feira (1º), indica que as novas provas serão feitas nos dias 3 e 4 de dezembro, em locais ainda não definidos.

Os demais 8,5 milhões de estudantes fazem o exame neste fim de semana, dias 5 e 6.

Custos

No último dia 19, o ministro Mendonça Filho afirmou que a Advocacia-Geral da União seria acionada avaliar como fazer a cobrança dos estudantes. Considerando o cenário atual, o custo total da realização da nova prova é de R$ 17 milhões.

Prova

A pasta garante que “a nova aplicação será em tempo hábil para a utilização dos resultados no SISU, Fies e Prouni. Do ponto de vista da prova, os novos itens serão equivalentes, de modo a garantir a isonomia do Enem".

O MEC diz que avisará aos inscritos afetados por meio de SMS, e-mail e divulgação no site.

LEIA TAMBÉM:

- Escolas de SP ocupadas em protesto têm nota acima da média no Enem

- 'Alunos de classe mais baixa hoje nem tentam o Enem', diz secretária-executiva do MEC

Mais no HuffPost Brasil:

Close
'Escolas de Luta': Retratos das ocupações que sacudiram o Brasil
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção