Huffpost Brazil

Aumenta número de crianças que pedem ajuda por causa de ansiedade

Publicado: Atualizado:
ANSIEDADE
‘Temos de garantir que nossas crianças sejam confortadas’ | Thinkstock/Getty Images
Imprimir

Foi registrado um aumento de 35% no número de crianças que tiveram ajuda psicológica por causa de ansiedade este ano, na comparação entre 2014 e 2015.

Dados da entidade britânica Sociedade Nacional para a Prevenção de Crueldade Contra a Criança (NSPCC, na sigla em inglês) revelam que 11.706 crianças ligaram para o serviço de atendimento telefônico Childline para receber apoio psicológico em 2015/2016, em comparação com 8.642 no ano anterior.

A entidade afirmou ter observado um “grande aumento” nas ligações nos últimos seis meses, com 6 500 chamadas – ou 36 por dia.

Os problemas citados pelas crianças vão de questões familiares a preocupações com assuntos mundiais, como o referendo da UE, a eleição presidencial americana e os conflitos no Oriente Médio.

“O mundo pode parecer preocupante, mas temos de garantir que nossas crianças sejam confortadas e não se sintam sobrecarregadas ou com medo”, disse Peter Wanless, executivo-chefe da NSPCC.

ouça com atenção

Crianças de apenas oito anos entraram em contato com a entidade para falar de seus medos. As meninas foram responsáveis por sete vezes mais ligações.

Uma adolescente que ligou para a Childline disse: “Fico preocupada com o que vejo no noticiário; coisas como o referendo da UE e a eleição americana, fico preocupada com meu futuro e com as mudanças”.

“Odeio a ideia da guerra e não entendo como as coisas possam ser resolvidas assim, mas parece que é só o que acontece no mundo agora.”

Outra menina que entrou em contato com a Childline afirmou: “Me sinto completamente esmagada. Minhas emoções estão fora do controle e tenho ataques de ansiedade. Fico tremendo, não consigo respirar e demoro um tempão para me acalmar”.

“Tenho paranoia constante sobre o que os outros pensam de mim e odeio sair em público. Não sei o que fazer.”

Wanless disse que precisamos garantir que as crianças que se sentem assim recebam ajuda.

“É natural que crianças e jovens se preocupem às vezes, mas quando eles sentem medo constante, que resulta em ataques de pânico e lhes impede de sair de casa, eles precisam de ajuda.”

“Uma das maneiras mais importantes de ajudar quem passa por dificuldades é deixar claro que eles sempre terão com quem conversar e que não precisam sofrer sozinhos.”

O NSPCC publicou conselhos para apoiar crianças que sofrem de ansiedade:

  • Ouça com atenção os medos e preocupações da criança.
  • Conforte e diga que tudo vai estar bem. Evite explicações complicadas que possam deixá-la mais confusa e amendrontada.
  • Ajude-a a encontrar apoio para entender eventos e sentimentos angustiantes.
Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

Viver bem é o tipo de desejo tão universal que se tornou um direito. Mas não há fórmula ou mágica que o garanta, o que deixa, para cada um de nós, a difícil tarefa de descobrir e pavimentar o próprio caminho. A newsletter de Equilíbrio vai trazer a você textos e entrevistas sobre saúde mental, angústias, contradições e alegrias da vida. Assine aqui para receber novidades no fim de semana.

LEIA MAIS:

- O toque dos pais transforma o cérebro do bebê, afirma pesquisa

- Meninas de apenas 7 anos já se sentem pressionadas a ter aparência perfeita, diz estudo

- Ansiedade, cyberbullying e pensamentos suicidas estão aumentando entre jovens alunos, indica relatório

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
Livros para falar de emoções com crianças
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção