Huffpost Brazil

STF nega pedido de liberdade e Cunha permanece preso

Publicado: Atualizado:
CUNHA
Rodolfo Buhrer / Reuters
Imprimir

O ministro Teori Zavascki negou nesta sexta-feira (4) o pedido de liberdade da defesa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

De acordo com o G1, o ministro, que é relator da Lava Jato, argumenta que o instrumento usado pela defesa não é cabível. Foi feita uma reclamação, que só pode ser usada quando há contrariedade ao entendimento do STF.

A defesa de Cunha alega que a Suprema Corte já havia descartado o pedido de prisão feito pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Os advogados entendem que, ao expedir o pedido de prisão, o juiz Sérgio Moro, da 1ª instância da Justiça do Paraná, teria descomprimo a ordem do STF.

A defesa de Cunha vai recorrer da decisão.

O ex-deputado e ex-presidente da Câmara dos Deputados está preso desde 19 de outubro.

Minha mudança, minha vida

Preso preventivamente por tempo indeterminado, o ex-deputado determinou nesta sexta-feira (4) o esvaziamento do apartamento funcional que ocupava na 316 Sul, em Brasília.

Ele deveria ter entregue as chaves do imóvel no último dia 13. A multa no caso de atraso é proporcional ao período que o imóvel foi ocupado, com base no auxílio moradia, que é de R$ 4.253. A Câmara, entretanto, ainda não confirmou se cobrará a pendência.

LEIA MAIS:

- Eduardo Cunha chama Temer e Lula como suas testemunhas de defesa

- 4 coisas que Cunha fez quando já sabia que seria preso

- Prisão preventiva de Cunha reforça críticas à conduta de Moro na Lava Jato

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Os defensores de Eduardo Cunha
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção