Huffpost Brazil

Nos EUA, Sonia Braga comenta atual momento político do Brasil: 'Não parece o País onde vivi'

Publicado: Atualizado:
Imprimir

"Há um golpe no Brasil."

A atriz Sonia Braga, 66, continua a expressar de maneira franca e contundente sua opinião a respeito do atual cenário político do Brasil.

Na última sexta-feira (4), em Miami, após exibição de Aquarius – filme divulgado intensamente mundo afora por Braga e o diretor, Kleber Mendonça Filho –, a artista participou de um debate com o público, ocasião na qual ela se referiu ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff como um "golpe".

"Não é um militar", explicou, de acordo com a AFP.

sonia braga
Braga em debate sobre Aquarius, no Festival de Cinema de Nova York (NYFF), em outubro

"É muito difícil para as pessoas fora do Brasil saberem exatamente o que está acontecendo e a dimensão do perigo pelo qual estamos passando", contou. "Devemos fazer algo para não perder o que foi muito difícil de conseguirmos, a democracia."

Braga disse também não reconhecer o Brasil atual: "Não parece mais com o País que conheci, onde vivi e amei tanto".

Ela também demonstrou preocupação a respeito da eleição de Marcelo Crivella (PRB) como prefeito do Rio; a atriz classificou o bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus como "extrema-direita".

O filme de Mendonça Filho, desde que foi exibido no Festival de Cannes em maio, tornou-se símbolo de resistência contra o governo de Michel Temer e o impeachment da petista.

Sessões do longa pelo Brasil têm sido marcadas por protestos contra o peemedebista e, tanto elenco quanto diretor, se posicionado contra Temer.

Além disso, a classificação indicativa de 18 anos – depois reduzida para 16 – que Aquarius recebeu do governo em agosto também gerou controvérsia; a não escolha do Ministério da Cultura pela obra como representante do Brasil no Oscar 2017 gerou ainda mais rebuliço também.

Na trama, a atriz dá vida a Clara, jornalista aposentada que é assediada por uma corporação que insiste em comprar seu apartamento para construir, no lugar do prédio, um empreendimento – a personagem faz contrapressão e entra na briga para permanecer no imóvel.

Em outubro, Aquarius recebeu destaque especial do New York Times quando chegou aos cinemas dos Estados Unidos. O longa-metragem segue em campanha para a temporada de premiações deste ano.

LEIA MAIS:

- Sambou! No ajuste do governo Temer não coube cortar um show de R$ 500 mil

- Para Temer, teto de gastos 'corta na própria carne' e gera ‘impopularidade'

- Conselhão de Temer deixa de fora UNE e trabalhadores da agricultura

Também no HuffPost Brasil:

Close
'Aquarius': Filme tem peso político e causa necessário mal-estar
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção