Huffpost Brazil

Por que você nunca deve jogar roupas velhas no lixo

Publicado: Atualizado:
Imprimir

lixo

Este artigo faz parte da campanha Reclaim do HuffPost, um projeto contínuo para destacar a crise mundial do lixo e como podemos começar a resolvê-la.

Tem roupas velhas que está planejando jogar no lixo? Você não está sozinho. Só em 2013, os norte-americanos descartaram 15,1 milhões de toneladas de roupas e outros têxteis, e 85% desse volume foi parar em aterros sanitários.

É um dado negativo, e não apenas porque as roupas velhas poderiam ter sido doadas ou recicladas, em vez de ficarem jogadas no chão. E não apenas porque a área do aterro deve ser utilizada para fins mais úteis — ou porque transportar têxteis para os aterros seja tão custoso.

Saiba que aquelas calças largas e camisetas manchadas não ficam intactas nos aterros para sempre. Os têxteis se decompõem. E, à medida que isso acontece, liberam gás de aterro, uma mistura tóxica de poluentes que inclui gases de efeito estufa: dióxido de carbono e metano.

mapa roupas
Mapa mostra os locais de aterros em 48 estados nos EUA. Cada ponto azul representa um aterro. O tamanho dos pontos corresponde à quantidade de lixo que o aterro recebeu em 2013

Existem cerca de 1.200 aterros municipais de resíduos sólidos nos Estados Unidos, disse ao Huffington Post Jon Powell, estudante de doutorado em química e engenharia de meio ambiente da Universidade Yale e especialista em aterros. Cerca de 900 desses aterros têm sistemas a vácuo que coletam gás de aterro para combustão ou produção de eletricidade.

Mas uma grande parte de gás de aterro é simplesmente ventilada na atmosfera. Na verdade, os aterros são a terceira maior fonte de emissões de metano nos EUA, segundo a Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês).O metano é 28 vezes mais eficiente do que o dióxido de carbono na absorção de calor, disse Powell. Isso significa que representa um enorme problema para o aquecimento global.

Qual é a conclusão? Mesmo se você dirigir um carro híbrido e comer apenas alimentos produzidos de maneira sustentável, se suas roupas velhas estão se desintegrando em algum aterro por aí, sua contribuição para o aquecimento global e outros danos ambientais é maior do que você pensa.

Felizmente, as regras para manter suas roupas longe dos aterros são bastante simples.

“Reutilize e arrume roupas o máximo possível”, disse Morton Barlaz, professor de engenharia ambiental, civil e de construção da Universidade Estadual da Carolina do Norte, também especialista em aterros, em uma entrevista por e-mail ao HuffPost. “Quando não for mais possível usá-las e não estiverem mais apropriadas para doação, utilize como trapos ou doe para uma loja beneficente.”

Instituições de caridade que recebem roupas doadas vão aceitar qualquer item, não importa quão gasto, rasgado ou manchado. Isso inclui roupas íntimas, então, tente não deixar que a vergonha interfira em seus planos.

“Ninguém vai dizer: ‘Olha, é o sutiã da Marsha’”, disse Matt Riggs, coordenador de divulgação para o gerenciamento de resíduos sólidos em Kansas City, no estado de Missouri, em entrevista ao Kansas City Star.

Outra opção é verificar se existe um programa de reciclagem de têxteis em sua região.

Muitas cidades e varejistas de sapatos e roupas agora coletam e reciclam têxteis usados, disse Eric Lubin, presidente de uma empresa de reciclagem em Nova Jersey, nos EUA, em entrevista ao HuffPost. As redes Eileen Fisher, H&M, The North Face e Patagonia estão entre as empresas que contam com algum tipo de programa de reciclagem.

Se isso não for motivação suficiente para que você faça de tudo para manter suas roupas longe dos aterros, considere o seguinte: as estatísticas da EPA sugerem que a mais modesta redução na quantidade de resíduo têxtil que vai parar nos aterros pode trazer grandes benefícios ao meio ambiente.

Em 2013, os norte-americanos reciclaram cerca de 2,3 milhões de toneladas de resíduos têxteis. O volume trouxe uma redução em gases de efeito estufa equivalente a 1,2 milhão de carros fora de circulação durante um ano inteiro.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Leonardo DiCaprio quer falar sério sobre aquecimento global em documentário; Veja o trailer (VÍDEO)

- 99,9% das espécies da Terra ainda não foram identificadas, diz estudo

- Comida de laboratório: A ciência pode nos ajudar a alimentar o mundo

Também no HuffPost Brasil:

Close
Comidas resgatadas do lixo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção