Huffpost Brazil

Quem pensa demais pode ser mais inteligente e mais criativo

Publicado: Atualizado:
PEANUTS
reprodução
Imprimir

O diálogo interno de quem pensa demais costuma estar cheio de incertezas e dúvidas (parece divertido, não?). Mas tem algo bom, também.

A conversa constante dentro da cabeça de um neurótico também pode representar alguns traços positivos. Estudos estão dando crédito à ideia de que pensar demais pode ter alguns benefícios, para o cérebro e até mesmo para sua saúde física.

É claro que pensar demais a ponto de ficar ansioso não é ideal. Quem se identifica com essa característica se preocupa demais, fica ruminando e analisa as coisas mais que a média das pessoas. Esse tipo de comportamenteo pode provocar estresse excessivo e causar vários problemas de saúde, como pressão alta e problemas digestivos.

É importante manter essa tendência sob controle – seja por meio de terapia ou outras mudanças no estilo de vida – para aproveitar a atividade cerebral para o bem.

Eis algumas maneiras pelas quais o pensar demais pode ser benéfico:

Quem pensa demais pode ser mais imaginativo.

Um paper opinativo publicado na revista Trends in Cognitive Sciences sugere que a área do cérebro associada ao pensar demais pode ser mais hiperativa em pessoas neuróticas. Isso poderia levar a mais soluções ou ideias, teorizam os pesquisadores.

“Se as pessoas neuróticas tendem a pensar mais nos problemas porque têm mais pensamentos associados a ameaças – o que explicaria sua tendência a se sentirem infelizes --, parece provável que elas terão melhores chances de criar soluções para esses problemas, comparado com pessoas que têm menores índices de neuroticismo e tendem a olhar para o lado bom da vida o tempo todo”, disse ao The Huffington Post Adam Perkins, um dos autores do paper.

A ruminação constante pode ser sinal de inteligência.

A tendência de se preocupar – que é comum entre quem pensa demais – está relacionada a mais inteligência verbal, segundo um paper publicado na revista Personality and Individual Differences. (É claro que é importante observar que isso não significa que pensar demais causa mais inteligência verbal, apenas que as duas coisas podem estar associadas.)

Outros pesquisadores também sugerem que indivíduos ansiosos podem ter QI mais alto que quem tem sintomas de ansiedade mais leves, relata a Slate.

O neuroticismo pode te tornar mais saudável.

Mas só se você for consciencioso Pesquisa publicada na revista Brain, Behavior and Immunity indica que uma alta combinação de neuroticismo e conscienciosidade pode levar a baixos níveis de uma proteína chamada interleucina-6, que está ligada a inflamações.

Os autores do estudo também afirmam que pessoas com os dois traços têm menos problemas de saúde crônicos.

Resumo: pensar demais ao ponto de se estressar não faz bem. Mas um pouco mais de concentração ou ruminação? Pode ser uma boa ideia.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Viver bem é o tipo de desejo tão universal que se tornou um direito. Mas não há fórmula ou mágica que o garanta, o que deixa, para cada um de nós, a difícil tarefa de descobrir e pavimentar o próprio caminho. A newsletter de Equilíbrio vai trazer a você textos e entrevistas sobre saúde mental, angústias, contradições e alegrias da vida. Assine aqui para receber novidades no fim de semana.

LEIA MAIS:

- Comportamento inadequado não é sintoma de TDAH, alerta psicanalista

- 10 coisas que quem pensa demais está cansado de pensar

- Como é viver com ansiedade: 15 relatos dos nossos leitores sobre angústias diárias

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
Indiana ilustra emoções de pessoas ansiosas
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção