Huffpost Brazil

Secretário-geral a ONU nega que Trump irá atrapalhar acordos climáticos

Publicado: Atualizado:
BAN KIMOON
Youssef Boudlal / Reuters
Imprimir

MARRAKESH, Marrocos (Reuters) - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse nesta terça-feira que as ações contra as mudanças climáticas se tornaram inevitáveis e expressou esperanças de que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, desista do plano de abandonar um acordo global que visa diminuir a dependência do mundo dos combustíveis fósseis.

Em uma reunião de quase 200 nações realizada no Marrocos para buscar formas de implementar o acordo de Paris de 2015 para limitar as emissões de gases de efeito estufa, Ban disse que empresas, Estados e cidades dos EUA estavam buscando limitar o aquecimento global.

"O que antes era impensável tornou-se inevitável", disse ele numa coletiva de imprensa do Acordo de Paris, aprovado pelos governos no ano passado, ratificado em tempo recorde e adotado formalmente por mais de 100 nações, incluindo os Estados Unidos.

O acordo, com o objetivo de eliminar as emissões líquidas de gases de efeito estufa neste século, foi um avanço após mais de duas décadas de negociações, impulsionado pela maior certeza científica de que as emissões causadas pelo homem impulsionam ondas de calor, inundações e aumento do nível do mar.

Ban disse esperar que o republicano Trump, eleito na semana passada, abandone sua visão de que a mudança climática provocada pelo homem é uma farsa e sua promessa de cancelar o Acordo de Paris.

"Estou certo de que tomará uma decisão rápida e sábia", disse Ban. Ele observou que este ano está rumo a se tornar o ano mais quente desde que os registros começaram no século XIX.

"Espero que ele realmente ouça e compreenda a gravidade e a urgência de lidar com as mudanças climáticas. Como presidente dos Estados Unidos, espero que ele entenda isso, ouça e avalie as observações de sua campanha", disse ele.

Ban disse que empresas como General Mills e Kellogg, Estados como a Califórnia e cidades como Washington, Nashville e Las Vegas estavam trabalhando para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

Ele disse que a Trump, como uma "pessoa de negócios muito bem sucedida", entenderia que as forças do mercado já estavam agindo para guiar a economia mundial para energias mais limpas, longe dos combustíveis fósseis.

(Por Aziz El Yaakoubi, Nina Chestney e Alister Doyle)

LEIA TAMBÉM

- Estudantes em Los Angeles, Washington e outras cidades protestam contra Trump

- Obama pede aos americanos que deem uma 'chance' e 'tempo' para Trump

- Trump vai ser 'garoto propaganda' para novos combatentes, afirmam jihadistas

Também no HuffPost Brasil:

Close
Protestos contra Trump
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção