Huffpost Brazil

A Barb, de 'Stranger Things', deu um corajoso depoimento sobre automutilação

Publicado: Atualizado:
Imprimir

shannon purser

Depressão, bipolaridade, ansiedade crônica – e tantos outros problemas de foro psicológico – trazem dor e sofrimento a milhares de pessoas, mas o assunto ainda é tabu. E falar sobre experiências pessoais é algo que exige muita coragem!

Não é fácil verbalizar a dor e tocar nas feridas, especialmente quando você ainda precisa enfrentar os preconceitos de rodeiam esse tema tão delicado.

A atriz Shannon Purser – a Barb, de Stranger Things – sabe bem disso, mas resolveu falar sobre sua experiência, a fim de passar uma mensagem de superação e otimismo a seus fãs. Em um post no Twitter, ela abriu o jogo sobre automutilação.

Junto à foto de uma lâmina, Shannon escreveu: “Faz anos que eu não me automutilo, mas eu eu guardei isso pensando ‘vai que eu precise’. Eu esqueci que isso ainda estava aqui e agora vai direto para o lixo.”


Logo depois, ela também tuitou: “A recuperação é possível. Por favor, não desista de si mesmo.”


Em resposta, muitos seguidores elogiaram sua coragem e agradeceram a ela por ter tocado nesse assunto tão delicado e tão sério, que causa sofrimento a inúmeras pessoas.

Quando ninguém fala sobre isso, parece que o problema praticamente não existe, o que é um erro grave! Nossa querida Barb mandou bem em chamar a atenção para o tema e mostrar que é possível virar a página.

Muito amor!

Caso você — ou alguém que você conheça — precise de ajuda, ligue 141, para o CVV - Centro de Valorização da Vida, ou acesse o site. O atendimento é gratuito, sigiloso e não é preciso se identificar. O movimento Conte Comigo oferece informações para lidar com a depressão. No exterior, consulte o site da Associação Internacional para Prevenção do Suicídio para acessar uma base de dados com redes de apoio disponíveis. O HuffPost Brasil possui também uma série de reportagens sobre a prevenção do suicídio e a importância de se falar a respeito.

Viver bem é o tipo de desejo tão universal que se tornou um direito. Mas não há fórmula ou mágica que o garanta, o que deixa, para cada um de nós, a difícil tarefa de descobrir e pavimentar o próprio caminho. A newsletter de Equilíbrio vai trazer a você textos e entrevistas sobre saúde mental, angústias, contradições e alegrias da vida. Assine aqui para receber novidades no fim de semana.

LEIA MAIS:

- Cyberbullying está ligado ao aumento dos casos de automutilação entre jovens

- Estatísticas chocantes revelam que uma em cada quatro mulheres jovens já se automutilou

- Automutilação aumenta entre homens após crise financeira, diz estudo

Também no HuffPost Brasil

Close
11 coisas que as pessoas que se agridem querem que você saiba
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção