Huffpost Brazil

Como os homens sentem a depressão de forma diferente

Publicado: Atualizado:
Imprimir

wentworth miller
O ator Wentworth Miller, que relatou ter sofrido em silêncio e pensado em suicídio

A depressão pode ser um verdadeiro monstro.

Esse problema de saúde, que afeta cerca de 350 milhões de pessoas no mundo inteiro pode incluir uma série de sintomas emocionais, como tristeza extrema, perda de motivação e do prazer em atividades costumeiras, além de efeitos físicos, como mudanças no apetite, dores de cabeça e problemas digestivos.

Mas a depressão vai muito além desses sintomas – especialmente para os homens. Alguns dos sinais de alerta podem não ser tão óbvios.

Estima-se que cerca de 6 milhões de homens americanos lidem com depressão em um ano típico.

Mas os especialistas afirmam que muitos homens podem nem sequer reconhecer ou admitir que sofrem da doença, seja por medo de serem julgados ou por acreditar que os sintomas estejam relacionados a outras doenças ou simplesmente estresse.

Para marcar o Movember, a dedicação do mês de novembro à saúde masculina, listamos algumas das maneiras como a doença pode se manifestar entre eles.

Veja alguns dos sintomas abaixo.

depressao

A depressão pode parecer raiva.

Melancolia ou tristeza excessiva são marcas registradas da depressão e podem ser prevalentes entre os homens. Eles também têm maior propensão a sentir aumento na frustração, raiva e irritabilidade.

Isso provavelmente é reação ao aumento das emoções negativas, afirma o Health.com.

Os homens tendem a ficar calados.

Pesquisa indicam os homens são mais avessos à busca de ajuda profissional e relutam em falar sobre depressão.

Eles também tendem a minimizar seus sintomas.

Muitas vezes, isso acontece por causa do medo de ser julgado ou de passar vergonha. O estigma da saúde mental muitas vezes impede que as pessoas recebam tratamento.

Eles sentem mais cansaço.

A depressão pode causar um desejo esmagador de ficar na cama o dia inteiro. Isso é particularmente verdadeiro para os homens, de acordo com psicólogos, e é provavelmente um dos sintomas mais prevalentes.

Eles têm menos probabilidade de receber diagnóstico de depressão de um médico.

As evidências científicas indicam que há um viés de gênero quando se trata de problemas de saúde mental. Os médicos são mais propensos a diagnosticar depressão entre mulheres do que entre homens, mesmo quando os caras apresentam sintomas semelhantes ou têm avaliação igual à das mulheres em medições padronizadas.

A depressão diminui o desejo sexual.

Embora não seja uma característica importante ou sinal de depressão, pode haver redução na intimidade sexual. Isso ocorre porque o cérebro e o corpo estão inextricavelmente conectados.

A depressão pode alterar a libido e causar disfunção erétil, de acordo com especialistas.

Os homens são mais propensos a morrer por suicídio.

Quando não tratados, problemas de saúde mental como a depressão são um fator importante no suicídio.

Um relatório de 2015 indica que os homens são mais propensos a ficar em silêncio quando pensam em se automutilar ou se matar. Homens de meia-idade também têm apresentado o maior crescimento nas taxas de suicídio nos últimos 15 anos.

Em última análise, os especialistas dizem que é importante que os homens se abram sobre qualquer dificuldade emocional. Isso pode salvar vidas.

“Os homens têm mais dificuldade em reconhecer, descrever ou admitir [doenças mentais] do que as mulheres”, disse John Greden, diretor-executivo do Centro de Depressão da Universidade de Michigan, em entrevista prévia ao The Huffington Post. “Os homens precisam reconhecer que isso não é algo que vai se curar de uma hora para a outra e que certamente não é sinal de fraqueza.”

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Caso você — ou alguém que você conheça — precise de ajuda, ligue 141, para o CVV - Centro de Valorização da Vida, ou acesse o site. O atendimento é gratuito, sigiloso e não é preciso se identificar. O movimento Conte Comigo oferece informações para lidar com a depressão. No exterior, consulte o site da Associação Internacional para Prevenção do Suicídio para acessar uma base de dados com redes de apoio disponíveis. O HuffPost Brasil possui também uma série de reportagens sobre a prevenção do suicídio e a importância de se falar a respeito.

Viver bem é o tipo de desejo tão universal que se tornou um direito. Mas não há fórmula ou mágica que o garanta, o que deixa, para cada um de nós, a difícil tarefa de descobrir e pavimentar o próprio caminho. A newsletter de Equilíbrio vai trazer a você textos e entrevistas sobre saúde mental, angústias, contradições e alegrias da vida. Assine aqui para receber novidades no fim de semana.

LEIA MAIS:

- Wentworth Miller, de "Prison Break", escreve desabafo emocionante após sua foto virar piada

- ‘Mas você não parece estar deprimido': 22 relatos sobre o que não está visível na depressão

- Quando termina a tristeza e começa a depressão?

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
Homens famosos derrubam estigma da saúde mental
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção