Huffpost Brazil

O Facebook deixou notícias falsas circularem livremente nas eleições americanas

Publicado: Atualizado:
Imprimir

O Facebook vem garantindo a “autenticidade” de páginas que distribuíram notícias falsas e enganosas a milhões de usuários em sua plataforma.

A verificação oficial de seis páginas feita pelo Facebook e analisada pelo HuffPost UK revela a extensão do problema que a empresa enfrenta, no momento em que encara acusações de que as notícias falsas divulgadas em sua rede contribuíram para a vitória de Donald Trump nos Estados Unidos.

Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, admitiu no fim de semana estar ansioso para livrar-se dos “embustes”, mas disse que muitos conteúdos “muitas vezes acertam a ideia básica, mas erram ou omitem alguns detalhes” e declarou que “mais de 99% do que as pessoas veem é autêntico”.

fake

Uma reportagem forjada sobre Denzel Washington foi compartilhada por uma página “verificada” do Facebook.

E a análise feita pelo HuffPost das páginas “verificadas”, que receberam curtidas de mais ou menos 14,5 milhões de usuários, ecoa esses problemas. Conteúdos sem confirmação apresentados como notícias e compartilhamentos dessas páginas foram investigados, e constatou-se que na melhor das hipóteses induziam ao engano, mas em alguns casos eram completamente falsos.

Essa situação viola os termos de uso de páginas do Facebook, segundo os quais:

“As páginas não devem conter alegações ou conteúdos falsos, enganosos, fraudulentos ou que induzam a percepções enganosas.”

No entanto, as seis páginas com esses conteúdos ostentavam um badge azul de “verificado” (aquele sinal ao lado do nome do veículo no topo esquerdo) pelo Facebook para “informar as pessoas que são autênticas”.

Aí vão seis exemplos de “notícias” falsas ou enganosas distribuídas por páginas verificadas do Facebook:

1. 'Denzel Washington apoia Trump da maneira mais épica possível'

Essa notícia foi desmentida pelo Washington Post como sendo completamente falsa, mas não antes de ser compartilhada milhares de vezes no site "verificado" American News.

O post no American News foi deletado horas depois de o HuffPost ter alertado o Facebook sobre sua existência.

Curtidas e compartilhamentos desse post antes de ele ser deletado: 92.625

post

Todos sabemos que Denzel já se posicionou contra Obama antes. Bem, ele está tomando outra atitude impressionante.
Denzel agora está no time de Trump!

Você o apoia?

Denzel Washington apoia Trump da maneira mais épica possível

Enquanto o resto da Hollywood liberal ainda procura retratar Donald Trump como o demônio, Denzel Washington está se manifestando em favor do presidente eleito. “Precisamos de mais...”


2. 'Obama acaba de avisar Trump: ‘Não ataque minha mulher, senão você vai pagar caro''

O presidente Obama não se dirigiu diretamente a Trump pela alusão que este fez à primeira-dama durante sua campanha. Em vez disso, o porta-voz do presidente disse a jornalistas: “Não posso imaginar uma maneira mais ousada de Donald Trump perder ainda mais prestigio do que já perdeu do que contestando a primeira-dama dos Estados Unidos”.

Obama não disse “não ataque minha mulher”, nem ameaçou Trump.

Curtidas e compartilhamentos deste post: 17.400

As consequências seriam algo com que nem mesmo Trump conseguiria lidar.

Obama acaba de avisar Trump: ‘Não ataque minha mulher, senão você vai pagar caro'

3. 'SIM! Rosie O’Donnell confirma que vai se mudar dos EUA E NUNCA VAI VOLTAR'

Na realidade, O’Donnell escreveu numa saraivada furiosa de tweets este ano: ‘OUÇAM COM ATENÇÃO TRUMPISTAS ACABADOS: NUNCA VOU DEIXAR OS EUA”.

O’Donnell não confirmou que deixaria a América depois da vitória de Trump.

Curtidas e compartilhamentos deste post: 31 mil

BUM! Esta talvez seja a melhor semana que já houve. Uma vitória de Trump e agora esta notícia...
Não deixe a porta bater na sua b...., Rosie!

CURTA se você não vai sentir nem um pouquinho de saudades desta liberal boquirrota!

4. 'ÚLTIMA NOTÍCIA: Gowdy anuncia retomada total da investigação sobre Hillary. Agora que eleições acabaram, acabou a vez dela'

Publicado no dia 11 de novembro, este texto dizia que o ex-promotor e deputado Trey Gowdy “acabar de anunciar” uma investigação de Hillary Clinton depois da eleição – só que isso não aconteceu.

Em vez disso, em comunicado divulgado em 7 de novembro, Gowdy disse: “Existem evidências diretas e circunstanciais suficientes para que um júri possa concluir que houve intenção de infringir a lei.”

Não é exatamente uma “retomada total”.

Curtidas e compartilhamentos deste post: 15.500

Desculpe, Hillary, mas na América, se você é criminosa, não vai sair impune só porque não conseguiu o emprego que queria.

Agora que a eleição terminou, Trey Gowdy está garantindo pessoalmente que Hillary pague por seus crimes com esta iniciativa mais recente.

Vamos conseguir 5.000 “LIKES” para mostrar à América que apoiamos Trey Gowdy!

5. ‘Hillary cancelou seu último evento público porque a multidão estava gritando “cadeia para ela!'

Este texto foi baseado numa declaração não verificada de uma testemunha, segundo a qual Hillary Clinton teria se recusado a sair de seu carro em um evento na Flórida em 30 de outubro. Apesar das fotos que a mostram caminhando em direção à multidão para saudá-la.

Curtidas e compartilhamentos deste post: 36.800

Hillary Clinton compareceu a um comício e nem sequer saiu do carro, porque a América estava farta de suas mentiras e corrupção e exigiu que ela fosse colocada atrás das grades. Isso prova que ela não tem a menor condição de liderar.
Vamos conseguir 3.000 curtidas para provar que a América não aguenta mais políticos corruptos.

6. ‘Reince Priebus acaba de chamar Osama bin Laden de ‘Obama’ três vezes em uma entrevista'

Não, isso não “acabou” de acontecer: o próximo chefe de gabinete da Casa Branca disse isso seis anos atrás.

Curtidas e compartilhamentos desse post: 17 mil

Reince Priebus Just Called Osama Bin Laden "Obama" 3 Times In 1 Interview
Absolutely deplorable.

Especialistas agora perguntam de que maneira o Facebook pode fazer uma verificação mais eficaz da autenticidade dos conteúdos divulgados em sua plataforma.

O professor Charlie Beckett, da London School of Economics, disse ao HuffPost RU que o Facebook talvez precise “eliminar o badge de verificado para todos”.

“O policiamento de notícias falsas representa um problema enorme de controle para o Facebook.”

“O Facebook é uma rede social, não uma rede de jornalismo. Talvez seja possível recrutar mais profissionais para identificar as notícias falsas, mas é uma tarefa tão imensa que na realidade precisa haver um algoritmo para isso.”

“Ao mesmo tempo em que receio que o Facebook possa reagir e eliminar coisas, é pouco provável que ele o faça, já que isso lhe faria perder dinheiro.”

mark zuckerberg
O fundador e executivo-chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, reconhece que conteúdos falsos precisam ser removidos da rede.

Beckett prosseguiu: “Como decidir qual é o ponto de equilíbrio correto para as pessoas? Afinal, são os usuários que clicam sobre esses conteúdos. Não dá para dizer a eles: ‘Leiam um pouco disto, em vez daquilo”.
“Uma solução talvez fosse remover o badge de verificados para qualquer material.”

O escritor e professor universitário Clay Shirky, estudioso das redes sociais, disse ao Guardian que é impossível para o Facebook d”começar a impedir as pessoas de compartilharem o que quiserem compartilhar. Essa é a ideia fundamental do site.”

facebook
Num esforço para combater as acusações de viés político, o Facebook eliminou os editores humanos

Mas o badge com tique de verificado é uma maneira pela qual o Facebook procura tranquilizar seus usuários em relação aos conteúdos que recebem de páginas.

Cinco das seis páginas analisadas pelo HuffPost UK identificaram-se como sendo de alguma maneira organizações de mídia/noticiosas.

Quando o Facebook confere um badge de verificado a essas páginas, está garantindo que sua identidade é “autêntica”.

noticia autentica
O badge azul de verificado é sinal de “autenticidade”, segundo o Facebook

Explicando seu sistema de badges de verificação, o Facebook diz em seu site: “Quando você vê um badge azul numa página ou num perfil, significa que o Facebook conformou que esta é a página ou o perfil autêntico dessa figura pública, empresa de mídia ou marca”.

Ele explicou que um badge cinza denota uma página autêntica de uma empresa ou organização.

verificação

Como o Facebook explica seu sistema de badge de verificação

Segundo o dicionário Oxford de inglês, “autêntico” significa “baseado em fatos; preciso, confiável”.

Ao fazer uma busca por notícias falsas na rede, o HuffPost procurou informações apresentadas em estilo de notícias, mas que omitiam detalhes cruciais ou não vinham de uma fonte de reputação ilibada.
Além disso, esses exemplos traziam títulos enganosos ou foram apresentados no Facebook de maneira enganosa.

termos de uso

Os termos de uso de páginas do Facebook, em 16 de novembro

O HuffPost enviou todas suas conclusões ao Facebook na tarde de terça-feira. A empresa respondeu na manhã de quarta-feira, dizendo que ainda estava examinando os exemplos apresentados.

O Facebook não comentou sua política de badges de verificação.

Na segunda-feira, Facebook e Google anunciaram planos para remover notícias falsas de suas redes de anúncios.

Isso vai afetar os anúncios publicados em artigos online, mas é pouco provável que tenha impacto sobre os chamados posts patrocinados no próprio Facebook.

E esta está longe de ser a primeira vez que o Facebook tem problemas com a administração do conteúdo em sua rede.

Até este ano, o Facebook empregava editores humanos para decidir quais notícias seriam promovidas como virais na plataforma.

Mas o Washington Post descobriu que, dias apenas depois de demitir funcionários, num esforço para acalmar o receio de viés político, a rubrica de notícias virais do Facebook promovia notícias falsas.

Na quarta-feira o CEO do Google, Sundar Pichai, fez as declarações mais contundentes já ouvidas de um executivo do Vale do silício sobre a questão das notícias falsas.

Ele disse à BBC: “Não pode haver nenhuma situação em que sejam distribuídas notícias falsas, então precisamos melhorar.

“Acho que não devemos tanto debater a questão quanto trabalhar duro para garantir que publiquemos notícias de fontes mais confiáveis, que façamos mais verificações de notícias e melhoremos nossos algoritmos.”

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Dória, Crivella e Trump: A culpa também é da bolha 'Facebook'

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
As empresas mais admiradas pelos jovens
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção