Huffpost Brazil

Uma farmácia em Nova York anunciou ‘imposto para homens' e eles ficaram irados

Publicado: Atualizado:
Imprimir

farmacia
A farmácia “Thompson Chemists” no bairro Soho na cidade de Nova York.

Não há fúria comparável a de um ativista pelos direitos dos homens que foi desprezado na internet.

Pergunte para Jolie Alony, proprietária da farmácia Thompson Chemists no bairro da cidade de Nova York ― alvo recente da amargura dos Ativistas pelos Direitos dos Homens (ou MRA, pelas siglas em inglês, Men’s Rights Activist) por causa da propaganda irônica colocada em sua loja oferecendo 7% de imposto para homens em sua loja.

Alony disse ao The Huffington Post que ela e suas colegas queriam aumentar a conscientização sobre o “imposto rosa” e os preços dos produtos femininos.

O imposto rosa tem sido uma questão controversa nos últimos anos, em vários estados americanos― inclusive em Nova York ― ao retirar os impostos de vendas dos produtos de higiene feminina.

Os funcionários da Thompson Chemist colocaram um anúncio na segunda, que era o Dia de Colombo, um feriado geralmente mais tranquilo na cidade de Nova York.

E embora não houvesse nenhum problema com os clientes da farmácia, assim que as fotos começaram a circular em sites como o Imgur e o Reddit ― e quando a página do Thompson Chemists no Facebook compartilhou um artigo do Gothamist ― homens ofendidos começaram a vociferar sua indignação coletiva.

Alguns comentários escolhidos diziam “sexistas de merda” e “Egocêntricos [sic] e péssima decisão” além da reclamação típica de meninismo. “Se vocês REALMENTE querem que os produtos femininos custem o mesmo deveriam COLOCAR O MESMO PREÇO”, escreveu um comentarista.

“Você É um negócio e VOCÊ tem esse poder. O que estão fazendo é sexismo e está errado. ‘Hashtag igualdade de gênero?’ Que tal tratar os homens da mesma forma que tratam as mulheres."

Os homens ofendidos também se mobilizaram na página Yelp da farmácia, deixando classificações de uma estrela e críticas sem nexo. “Sexismo da pior espécie”, escreveu um usuário do site. “Estão tentando capitalizar nas redes sociais a ‘indignação’ de cobrar de homens e mulheres preços diferentes”

Além das reações online exageradas, Alony contou ao HuffPost que ela também recebeu ligações bem revoltantes.

“O telefone tocou e eu atendi, e um homem disse, ‘Quem fala é a vadia responsável?’”, e continuou acusando-a de sexismo e homofobia.

jolie alony
Jolie Alony posa em frente do Thompson Chemists da cidade de Nova York City, e não liga a mínima.

O lado bom é que a reação presencial foi bem positiva.

“A reação aqui em Nova York foi ótima”, disse Alony. Pelo visto, os homem que vieram não tiveram nenhum problema com o anúncio colocado na frente da loja. Uma senhora do bairro disse à Alony que gostaria de ter visto o imposto rosa antes de ter entrado na menopausa. “Eu sempre paguei mais imposto. Eu poderia provavelmente ter comprado um pequeno condomínio com esse dinheiro”, disse.

Mas, qual foi a melhor parte? Os homens não tiveram que pagar mais pelos produtos ― ela apenas deu às mulheres um desconto de sete por cento. “Apenas queríamos mostrar às pessoas que há ‘imposto rosa’ e que as mulheres pagam mais por tudo”, disse Alony ao HuffPost.

Incrível o que duas placas e um desconto de 7% pode fazer com o ego masculino.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Estamos a um passo do anticoncepcional masculino

- Este documentário pede que os homens questionem masculinidade e lutem pela igualdade de gênero

- Trump diz que impostos para os ricos deveriam aumentar

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Países que mais tratam homens e mulheres como iguais
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção