Huffpost Brazil

#MamiloLivre: Campanha questiona censura ao corpo da mulher nas redes sociais

Publicado: Atualizado:
Imprimir

Por que apenas os mamilos femininos são censurados no Facebook?

Por que eles são hipersexualizados ainda hoje?

Por que, em pleno 2016, mulheres ainda não usufruem os mesmos direitos que homens têm no que diz respeito à exposição de seus corpos nas redes sociais?

É para debater essas e outras questões que a fotógrafa Julia Rodrigues e a psicóloga Letícia Bahia criaram o projeto Mamilo Livre.

No ano passado, o movimento inspirado no famoso Free The Nipple levou para as ruas de São Paulo diversos lambe-lambes com imagens de seios e nesta semana ele pretende invadir a rede social de Mark Zuckerberg, numa parceria com o coletivo AzMina.


A apresentação da plataforma explica a inquietação que move o projeto:

"Nossos seios não são o problema. Objetificação sexual, sim. Queremos liberdade para decidir o que fazer com nosso corpo. Os homens já conquistaram a libertação de seus mamilos. Chegou a nossa vez."

Para participar, basta acessar o site Mamilo Livre. Nele estão disponíveis fotos de mamilos femininos em forma de mosaico (formato que burla o algoritmo do Facebook). Depois do download das fotos, é só fazer como a youtuber Jout Jout aqui embaixo:

Além das imagens, o site disponibiliza o manifesto do projeto, orientações sobre cyberbullying e um mapa das delegacias da mulher em todo o Brasil.

Bora participar desse movimento?

LEIA MAIS:

- 12 youtubers negras que estão empoderando mulheres na internet

- #ElesPorElas: Camila Pitanga, Preta Gil e Lea T estão juntas contra o machismo em campanha da ONU

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
39 celebridades que se abriram sobre seus abortos espontâneos para dar apoio a outras mulheres
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção