Huffpost Brazil

'A gente respeita a dor': Atlético-MG não vai jogar com a Chape pelo Brasileirão

Publicado: Atualizado:
Imprimir

O presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno informou, na manhã desta quinta-feira (1º), que o time não vai enfrentar a Chapecoense
pela última rodada do Brasileirão.

"Vim até aqui somente informar que o Atlético não irá jogar, não irá até Chapecó jogar a última partida. A gente acredita no esporte, a gente respeita a dor, não é o momento para cobrar de jogador nenhum a essência do esporte. Então já comuniquei à CBF, que concorda; já conversei com o presidente da CBF, Marco Polo, que concordou. Nessa partida o Atlético não irá. Provavelmente a maior punição é a perda dos três pontos, e como isso não altera a posição do time e o time não pode ser prejudicado, é o mínimo que se tem que ter pelos familiares, pela cidade, pelo estado e pelo país que está sofrendo com a tragédia essa semana".

A decisão do clube faz com que a "festa" sugerida pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Marco Polo Del Nero, para a última rodada da Série A não aconteça.

Na quarta-feira (30), durante entrevista coletiva, a diretoria da Chape revelou que Del Nero pedira que um time alternativo fosse montado para que o jogo, marcado para o domingo (11), se tornasse uma homenagem às vítimas do acidente.

Ainda de acordo com o presidente em exercício do clube, Ivan Tozzo, Del Nero chegou a sugerir que a equipe usasse atletas juniores e profissionais recém-recuperados. Desde a tragédia, o Atlético-MG se mostrou contra a realização da partida.

Segundo informações do UOL, o clube mineiro se colocou à disposição da Chape, para ajudar na montagem do elenco para o ano que vem. "Uma lista de jogadores vai ser disponibilizada nos próximos dias aos dirigentes catarinenses, que poderão escolher jogadores sem custo algum, incluindo os salários, que serão bancados pelo clube mineiro", afirma o portal.

Tragédia interrompe sonho da Chape

A cidade de Chapecó, em Santa Catarina, e o futebol acordaram de luto na terça-feira (29). O acidente com o avião que levava a Chapecoense para a Medellín, na Colômbia, deixou 71 mortos.

Além dos jogadores, o avião levava a comissão técnica e funcionários da equipe da Chapecoense, e jornalistas que iriam cobrir o jogo a Copa Sul-Americana na quarta-feira, em Medellín, a primeira internacional da equipe do interior catarinense.

O avião, que havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, tinha como destino final o município colombiano de Medellín, onde a Chapecoense disputaria as finais da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na noite de quinta-feira (30).

LEIA MAIS:

- Os brasileiros acordaram com dois novos amores: Colômbia e Atlético Nacional

- 'Avião não tinha combustível suficiente para pouso em aeroporto alternativo', diz governo da Colômbia

- Número de sócios dispara após tragédia. E Chapecoense acha 'merecido' dividir título com Atlético Nacional

Também no HuffPost Brasil

Close
A comoção toma Chapecó e o mundo do futebol após o desastre na Colômbia
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção