Huffpost Brazil

Fotografias traçam perfil de alunos da 4ª série ao redor do mundo

Publicado: Atualizado:
Imprimir

Por mais de oito anos, Judy Gelles fotografou e entrevistou mais de 300 alunos da 4ª série em todo o mundo. Com três questões, ela conseguiu um olhar dentro de suas realidades.

Gelles começou seu projeto fotográfico em 2008, depois de trabalhar como voluntária em uma classe de 4ª série em Filadélfia. Ela fez várias perguntas aos alunos, incluindo três que seriam a base de seu projeto: “Com quem você mora?”, “O que você deseja”? e “O que o preocupa?”.

Ela então os fotografou de costas (por causa da política da escola). Desde então, Gelles esteve na China, Inglaterra, Índia, Nicarágua, Santa Lúcia, Itália, Coreia do Sul e África do Sul para repetir o processo e aprender sobre alunos da 4ª série ao redor do mundo.

Nicarágua, Escola Pública

nicaragua
Judy Gelles fotografou e entrevistou mais de 300 crianças da 4a série ao redor do mundo

"Dez pessoas moram na minha casa. Eu compartilho uma cama com meu irmão. Meu pai trabalha na Costa Rica. Minha mãe é cozinheira e eu a vejo aos fins de semana. Estou preocupado com minha mãe. Ela está doente. Eu queria ser médico. Tenho medo de ladrões. Minha casa já foi assaltada e eles levaram todas as nossas roupas."

Gelles, que tem mestrado em aconselhamento, entrevista cada aluno por 20 a 30 minutos, certificando-se de incluir as mesmas três perguntas de antes, e tira uma foto deles de costas. Embora alguns alunos tenham dito que estavam satisfeitos com suas vidas, outros se abriram sobre seus problemas em casa.

A fotógrafa disse ao The Huffington Post que a faixa etária dos alunos de 4ª série é “perfeita” para seu projeto.

“Eles estão à beira da adolescência, mas ainda não chegaram nela”, disse. “São muito sofisticados, mas ainda não censuram, por isso são muito honestos em suas respostas.”

Nicarágua, Escola Pública

nicarágua
Embora alguns alunos tenham dito que estavam satisfeitos com suas vidas, outros se abriram sobre seus problemas em casa.

"Eu moro com minha mãe, pai e três irmãos. Meu pai trabalha numa fazenda café. Ele vem pra casa aos fins de semana. Eu fico preocupada com meu pai, porque ele trabalha muito e às vezes tem febre. Meu desejo é passar na quarta série."

Quando questionada se um aluno, escola ou país em particular a havia marcado, Gelles disse que cada escola lhe apresentou algo inesperado. Ela atribuiu isso ao fato de ir às escolas com “uma lousa em branco”.

“Não tenho ideias pré-concebidas e, na verdade, não faço muita pesquisa sobre as escolas”, disse, acrescentando: “Você aprende tudo com as crianças. Você aprende sobre seus medos e sobre suas atitudes em relação ao mundo e suas visões de mundo”.

Em março de 2017, Gelles viajará a Israel para continuar seu projeto e entrevistar mais estudantes. Ela não tem planos de repetir a série fotográfica com alunos mais jovens ou de mais idade, mas pretende expandir seu atual projeto com alunos de 4ª série.

Gelles formou um conselho consultivo para ajudar a criar um currículo para o projeto de modo que possa ser usado na sala de aula. Ela espera que, uma vez que esses relatos consigam chegar aos estudantes, isso os ajudará a aprender sobre outros estudantes da 4ª série a quilômetros de distância.

“Ao compartilhar a vida de outros alunos de 4ª série, estamos tirando as crianças favorecidas e desfavorecidas de suas bolhas e expondo a elas como é a vida de alunos de 4ª série e de suas famílias ao redor do mundo”, disse.

O crédito de todas as fotos é de Judy Gelles/Pentimenti Gallery Filadélfia.

Para conhecer um pouco mais do trabalho de Gelles, visite o site dela ou o site da Pentimenti Gallery, de Filadélfia.

EUA, Escola Pública

eua

"Eu vivo com minha mãe, minhas duas irmãs e um amigo da minha mãe. Meu pai está preso no Mississipi. Eu e minha mãe, minhas irmãs, meu tio e avó vamos de carro até o Mississipi no mês que vem em uma van grande para visitar meu pai. Não vejo a hora de ir."

EUA, Escola Pública

escola

"Eu estou preocupado que pessoas da minha família sejam baleadas. Meu primo levou um tiro e morreu. Eu acho que ninguém deveria carregar armas — mesmo os policiais. Aí assim ninguém levaria um tiro."

EUA, Escola Pública de Nativos Americanos

escola

"Papai e mamãe falam hindu e inglês. A gente viaja para encontros da comunidade, onde dançamos, cantamos e tocamos. A gente vence concursos e consegue dinheiro. meu desejo é consertar meu quadriciclo para que eu consiga alcançar os cavalos. Eu estou guardando dinheiro dos concursos. Eu tenho medo de ser picado por uma cobra venenosa."

Coreia do Sul, Escola Particular

coreia

"Eu moro com minha mãe, pai, irmã e avó. Meus pais são estilistas. Meu esporte preferido é beisebol. Quando eu crescer, quero ser um engenheiro de computação. Meu desejo é tirar 10 em todas as provas."

África do Sul, Escola Pública

africa

"Eu moro com minha mãe, irmã e irmãos. Falo inglês, zulu, afrikaan e xhosa. Meus pais são divorciados. Vejo papai uma vez por ano. Meu desejo é viajar para a casa dele. Estou preocupado em reprovar a quarta série. Minha mãe ficaria muito brava comigo."

China, Escola Para Filhos de Trabalhadores Migrantes

china

"Eu moro com minha mãe e meu pai. Sou filha única. Meu pai é cozinheiro, ele vem pra casa todos os sábados. Minha mãe trabalha em um hotel. Sinto falta de minha cidade natal e da minha avó. Nós a visitamos uma vez por ano. Eu tenho pesadelos à noite de minha mãe desaparecendo. Um dia eu adoraria visitar Xangai."

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Também no HuffPost Brasil

Close
'Escolas de Luta': Retratos das ocupações que sacudiram o Brasil
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção