Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Bruna Caricati Headshot

O que viajar me ensinou sobre aparência, higiene e autodidatismo

Publicado: Atualizado:
TRAVEL BAG
JW LTD via Getty Images
Imprimir

2016-06-23-1466686958-3017006-1506934_10153113799726600_6748042216750499077_n.jpg

A primeira vez que fui morar fora, eu percebi que era fácil se vestir com pouco dinheiro, então, quando voltei para o Brasil, fiquei decepcionadíssima ao pensar em quanto dinheiro eu já havia gastado aqui com roupas e sapatos. Isso me tornou uma pessoa mais econômica, pois hoje em dia penso muito bem antes de sair comprando uma roupa por aqui no Brasil. Além disso, dou preferência para comprar quando estou fora.

Com o tempo, fui me desapegando de certos hábitos e aprendendo a ser uma pessoa mais prática e econômica quando se trata de viajar. Hoje posso dizer que tudo o que tenho cabe numa mala. Além disso, não dá pra ficar frequentando salão de beleza quando se está viajando - embora eu nunca tenha sido o tipo de pessoa que vai em salão.

Veja o que viajar me ensinou sobre como cuidar da minha aparência e da minha higiene enquanto estou na estrada. Ah, e este post vale para homens e mulheres, viu!

Roupas

Evito comprar roupas apenas porque estão na moda. Estudei o método francês de montar um guarda-roupa e hoje procuro sempre comprar peças que combinem entre si e investir sempre peças-chaves, evitando ter roupas sobrando no armário. Isso facilita muito na hora de montar uma mala, pois quase tudo o que tenho pode ser combinado, então não perco tempo escolhendo o que levar. Outras adaptações que fiz para o meu conforto foi comprar roupas de tecidos que não amassem facilmente e substituir sutien por tops.

Unhas

Não pinto mais as unhas. Nunca. Nada contra quem pinta, mas percebi que eu só passava esmalte, porque me foi ensinado durante a vida que mulher tinha que estar com a unha feita. Eu nunca fazia em manicure ou pedicure, sempre fiz minhas unhas, mas isso também me tomava tempo, então, hoje, cuido apenas da higiene delas. Isto é, quando viajo, levo apenas uma lixa. Estão sempre curtas e limpas. E pronto. Prezo agora pela praticidade, por causa do meu estilo de vida.

CABELO

Eu sempre soube lidar com penteados e afins, então eu levo sempre comigo um secador travel size, uma chapinha e algum creme de cabelo. Porém, evito colorações ou qualquer técnica que necessite de manutenção, pois não é tão simples quando você está fora, além do quê, não quero ficar gastando dinheiro com cabeleireiro fora. Por isso, geralmente faço ombré ou qualquer outro método que eu não necessita de cuidados extremos, apenas umas hidratações em casa.

Autodidatismo

Uma vida de viagens me ensinou que eu precisava aprender a me virar com certas coisas. Aprendi a costurar, a cortar minha franja, a fazer minha sobrancelha, entre outras coisas. Quando você viaja por muito tempo, deixa até de ter aflição de certas coisas, por exemplo, tive que aprender remover espinhos da mão e lidar com sangue de ferimentos, etc. Você simplesmente aprende a fazer coisas que nem imaginaria ser capaz se não fosse a necessidade de ter que lidar com essas coisas.

Acessórios

Eu praticamente parei de usar colares, brincos e afins. Quando viajo, levo o mínimo possível de penduricalhos, às vezes, só um brinquinho pequeno. Porém, sempre tenho comigo um par de luvas, cachecol e gorro. Esses acessórios se tornaram bem mais importantes e necessários do que outros apetrechos. Também sempre levo faixa para cabelo e vários grampos para aqueles dias de bad hair day.

Espero que essas dicas ajudem você a levar uma vida mais leve e prática!

LEIA MAIS:

- O celular pode salvar a sua viagem

- O futuro da hospitalidade

Também no HuffPost Brasil:

Close
O que mais irrita em viagens de avião?
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual