Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

David Beckham Headshot

HIV e seca têm impacto devastador na vida das crianças na África

Publicado: Atualizado:
Imprimir

2016-06-10-1465550318-3971036-UNICEF_SWAZILAND07.jpg

All photos ©UNICEF/Modola

Crianças como Sebenele são a razão pela qual criei meu Fundo 7 com a Unicef. Conheci Sebenele, um menino brilhante e sorridente de 14 anos, durante uma visita esta semana à Suazilândia, para ver como meu fundo está ajudando o Unicef a apoiar e proteger as crianças que vivem com HIV.

A Suazilândia tem a maior taxa de infecção por HIV do mundo, e durante a minha visita vi e ouvi como isso tem impacto devastador na vida das crianças. Quase um quarto das crianças daqui perderam um ou ambos os pais devido à Aids, e agora muitas delas vivem com o HIV. Sebenele é uma dessas crianças. Seu pai morreu de doenças relacionadas à Aids mais de dois anos atrás, e sua mãe agora se esforça para ganhar dinheiro suficiente para alimentar Sebenele e o resto da família.

Quando cheguei à casa de Sebenele, uma pequena cabana no final de uma rua empoeirada, ele me cumprimentou com um sorriso acolhedor. Pergunto sobre a escola, sobre os assuntos de que ele gosta, seus jogadores de futebol favoritos e o que ele quer ser quando crescer - enfermeiro, porque ele quer ajudar as crianças, assim como os enfermeiros que o ajudaram quando ele sofreu de desnutrição.

2016-06-10-1465550410-8915641-UNICEF_SWAZILAND10.jpg

Pensei nos meus próprios filhos e como eles provavelmente gostam das mesmas coisas que Sebenele. Disse a ele que ele poderia ensinar meus filhos a como dobrar seus uniformes escolares tão bem como ele. Mas, depois de passar algum tempo conversando, ficou claro que Sebenele lida com desafios diários que não deveriam fazer parte da vida de nenhuma criança.

Sebenele me contou como se esforça para continuar tomando o remédio antiretroviral, vital para garantir que ele permaneça saudável. Ele não consegue manter as pílulas no estômago se não se alimentar. Às vezes, a falta de comida em casa é tão ruim que ele tem de ir para o hospital local para ser tratado de desnutrição aguda. Sebenele recebeu uma pasta especial cheia de nutrientes para se recuperar.

Sua mãe ganha apenas 400 rand (cerca de 90 reais) por mês. Com o aumento dos preços dos alimentos, a família está cada vez mais pobre. Ela diz que a falta de alimentos é um problema terrível e que não vê perspectivas de melhora. Sebenele me mostrou o lote vizinho à sua casa, onde a família plantava milho -- agora é apenas uma terra seca e rachada, com algumas plantas murchas e que não podem ser colhidas, porque não chove há meses.

2016-06-10-1465550506-2155871-UNICEF_SWAZILAND03.jpg

Infelizmente, a família de Sebenele não é a única nesta situação. No sul e no leste da África, a pior seca em décadas tem um impacto devastador sobre as vidas das crianças e das famílias cujas vidas já é um desafio por causa do HIV. Fiquei chocado ao saber como mais de 26 milhões de crianças de toda a região correm o risco de desnutrição, falta de água e doenças. Fiquei ainda mais chocado ao saber que o apelo do Unicef por mais recursos para combater a seca não recebeu nem sequer metade da quantia necessária. A menos que sejam tomadas medidas urgentes, a situação só vai piorar.

Quando criei meu fundo, me comprometi a falar publicamente e a ajudar a levantar recursos vitais para algumas das crianças mais vulneráveis do mundo. Ao longo dos próximos três anos, meu fundo se comprometeu a contribuir mais de um quarto do orçamento anual do total destinado pelo Unicef ao combate do HIV/Aids na Suazilândia, além de prestar cuidados e apoio a crianças e mães grávidas infectadas pelo HIV.

2016-06-10-1465550578-1570195-UNICEF_SWAZILAND16.jpg

Posso dizer que as crianças que conheci na Suazilândia estão enfrentando muitos, muitos desafios, mas há esperança. Avanços enormes estão sendo obtidos na luta contra o HIV, e, com o apoio do meu fundo, a Unicef ajuda a oferecer serviços vitais de aconselhamento, alimentação e acesso a clubes de jovens, onde eles podem compartilhar experiências e aprender como se manter saudáveis e fortes.

Progressos na prevenção e tratamento do HIV em toda a região precisam continuar, mas temo que eles estejam ameaçados pela pior seca em 50 anos em alguns países. A crise já está levando crianças e suas famílias de volta para a pobreza e a doença. As crianças que conheci esta semana precisam ter suas vozes ouvidas. A comunidade global precisa agir urgentemente para evitar o sofrimento de mais crianças nesta região da África e para se certificar de que a Unicef consiga entregar os alimentos, remédios e água limpa de que essas comunidades precisam desesperadamente.

Estas crianças, e esta crise crescente, não devem ser esquecidas.

Por favor, doe à UNICEF para as crianças afetadas pela seca no leste e no sul da África.

Para doar, clique aqui.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Ao pai de Brock Turner, de outro pai

- Defender as normas que garantem a humanidade

Também no HuffPost Brasil:

Close
O drama dos refugiados
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual