Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Denise Tessariol Hachul Headshot

Como manter o ritmo certo do seu coração

Publicado: Atualizado:
HEART
Adam Hester
Imprimir

Datas comemorativas e/ou especiais merecem nossa atenção. É um momento importante para refletir sobre o que fizemos, como estamos e para onde queremos ir ou como queremos estar no futuro. Não é assim que agimos no dia do nosso aniversário ou na passagem de final de ano?

Com a nossa saúde a reflexão deve ser a mesma - o que fizemos para a sua preservação, o que e como consumimos, o quanto nos movimentamos e como planejamos estar em alguns anos. Por isso, não é à toa que os órgãos e instituições de saúde, governamentais ou não, realizam diversas ações neste 29 de setembro, Dia Mundial do Coração. Por quê? Porque entre as doenças não transmissíveis, as cardiovasculares são as que mais matam no mundo todo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre elas, as arritmias cardíacas, que somente no Brasil atingem mais de 20 milhões de indivíduos e gera a morte súbita de 320 mil brasileiros por ano.

A OMS elenca as doenças cardiovasculares como as que merecem atenção especial, também baseada nas projeções da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em nível mundial, e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil. Estes institutos apontam para um acelerado crescimento da população idosa. Com 204 milhões de habitantes, o Brasil já tem 15% de pessoas com 60 anos ou mais, e será o sexto país em número de idosos em 2025, quando deve chegar a 32 milhões de pessoas nessa faixa etária.

Participo dos mais importantes congressos de cardiologista em todo o mundo e posso dizer que é grande a preocupação dos colegas com o futuro da população mais idosa.

Na terceira idade, a Fibrilação Atrial é o tipo de arritmia cardíaca mais prevalente, atingindo mais de 175 milhões de pessoas em todo o mundo. Embora ela seja desconhecida da grande maioria da população, sua principal consequência não. Trata-se do Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame e que geralmente deixa sequelas incapacitantes para os indivíduos.

A Fibrilação Atrial acontece devido a contração pouco eficiente das câmaras cardíacas superiores e menores do coração, os átrios, quando os batimentos cardíacos são irregulares e sem sincronia. Isso facilita a estagnação do sangue e, consequentemente, a formação de coágulos no interior dos átrios, que quando se desprendem entopem as pequenas artérias cerebrais, interrompendo a circulação de sangue e oxigênio para o cérebro. Ou seja, é quando acontece o AVC.

Se a projeção é o aumento da expectativa de vida, a longevidade deve vir acompanhada de hábitos saudáveis. A prevenção é o primeiro passo no cuidado das doenças cardiovasculares, e isso envolve fazer exames periódicos, ter uma alimentação adequada, praticar atividade física com regularidade, ter boas horas de sono tranquilo e repousante, evitar o estresse e o excesso de bebida alcoólica, além de não fumar.

Todos devemos planejar o futuro e, tratando-se da nossa saúde, almejar viver e envelhecer de forma saudável. Isso inclui manter o ritmo certo do nosso coração, o que nos permitirá viver por muito tempo, independentes, emocionalmente bem e com uma boa dose de qualidade de vida.

LEIA MAIS:

- O que acontece com o seu corpo quando você morre?

- 11 razões extremamente saudáveis para começar a dançar

Também no HuffPost Brasil:

Close
'Meu coração ancioso' série de fotos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual