Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Janet Bertolus Headshot

Conselhos de amor de alguém que não sabe coisa alguma sobre ele

Publicado: Atualizado:
LOVE ADVICE
Arthur Tilley via Getty Images
Imprimir

"O amor parece muito com a dor nas costas, não aparece nos raios-X, mas você sabe que está lá".
~ George Burns

Alguém pediu então eu vou te dar um conselho sobre o amor-- mas, na real, eu não posso.

Essa sou eu dando conselho para emagrecer. Ou conselho sobre como plantar uma abobrinha enorme ou tocar piano. Tudo isso eu tentei e meio que deu certo. Exceto pelo piano que tentei por um minuto, mas acho que o professor se mudou sem me avisar. (Adultos deveriam tomar aulas de um instrumento musical somente como desafio. E somente se a recompensa por tal desafio for mais de cem dólares. Somente nesse caso.)

Mas eu vou abrir uma exceção...

Dizer às pessoas como ser bem-sucedido no amor é arriscado. E quando digo isso, quero dizer impossível. Você não pode dizer às pessoas como elas têm que se sentir.

Claro, existem regras e normas, mas como qualquer um que já esteve em um relacionamento sabe, tudo isso é bullshit.

Se alguém te diz que conseguiu descobrir um jeito--estão mentindo.

Você sai alçando vôo sem experiência alguma.

Até alcançar altitude.

Daí você serve drinks e coloca um filme até começar a turbulência e nesse ponto você precisa ajustar seu assento e fechar a bandeja, botar seu paraquedas e fugir (como meu professor de piano fez), ou você pode continuar no voo e esperar por céus mais amenos.

Realmente trata-se de apenas essas duas escolhas.

Fugir, desistir e escapar, terminar, como quiser chamar-- ou esperar e ver o que o amanhã trará. Que na sua forma original parece um avestruz com a cabeça enfiada no chão e na sua forma mais pura faz você parecer um santo.

E, a propósito, já que fui alguém que fugiu, foi um avestruz...e um santo, e não posso defender nenhum deles. Todos eles fizeram sentido na época, o que me faz concluir o que disse no início. Eu não sei merda alguma.

Não posso te dizer o que vai dar ou não vai dar certo. Alguns dos melhores relacionamentos que tive, inclusive o casamento em que estive nos últimos quinze anos, soa como algo horrível e não faz nenhum sentido. Nós dois somos arianos, por Deus, o que faz com que estejamos sempre certos e somos de partidos políticos diferentes-- nós deveríamos ter nos matado já!

Até mesmo estar casado não faz de ninguém um especialista sobre o amor. Como eu poderia ser uma especialista em algo que falhei tantas vezes e tão miseravelmente e somente acertei uma vez? E eu não posso explicar como ou porque funciona. Se eu fosse uma cirurgiã de cérebros que dissesse isso para você-- você me deixaria operá-lo?

E não deixe ninguém dizer que é tudo um mar de rosas.

É uma lição em compromisso. É meias sujas no chão, diferenças gritantes de opiniões, vasos sanitários na vertical e péssima política. E isso é só sexta à noite. Mas saiba, ele poderia dizer o mesmo ou pior de mim.

Nós aguentamos muito merda também. Com certeza. O que constitui como turbulência na minha definição.

Acho que decidi que era o tipo que eu poderia suportar, mas honestamente, não me lembro de ter tomado essa decisão.

E acho que tudo se resume ao dia a dia, um processo lento de decisão de continuar amando.
Alguns dias são fáceis, outros podem ser difíceis. E por difícil quero dizer excruciante.

Quando meu marido está gripado ou com uma queimadura de sol, tudo o que eu NÃO consigo fazer é evitar colocar um travesseiro sobre sua cabeça enquanto reclama.

O amor é alquímico. É ciência. Essa é minha explicação e estou me aferrando a ela.
Mas se eu tivesse que dar uma regra, essa seria:

Sua pessoa deve fazer você rir-- pelo menos-- uma vez por semana.

Ele deve tentar te trazer café-- no mínimo--nos finais de semana.

Ele deve te dar a sensação de "Meu Deus, você é tão fofo"... pelo menos uma vez ao mês.

E seria bem legal se ele te mostrasse carinho regularmente. Não sexo. Afeto. Eis a diferença.

Bom, fique de olho nessas quatro "regras". Eu já te falei, meu conselho é uma grande merda.

Apenas ame da melhor forma que é capaz e daí tente fazer melhor amanhã.
Bjs

"As mulheres gostam de homens carecas seguros de si".
~ Larry David & Meu Marido

Tradução: Simone Palma

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Acreditar no amor não deveria depender de casais famosos

- Conheça 8 conselhos 'furados' sobre o casamento

Também no HuffPost Brasil:

Close
10 medos que matam os relacionamentos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual