Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Johann Hari Headshot

7 fatos sobre drogas e vício que vão te fazer questionar tudo o que você sabe

Publicado: Atualizado:
DRUG ADDICTION
Barbara Peacock via Getty Images
Imprimir

Não existe assunto da nossa cultura em que a conversa seja tão dominada por mitos e concepções errôneas como drogas. Temos medo de falar do problema. Ficamos tentados a recorrer a clichês e espasmos mentais como o famoso "diga não às drogas", e todas as variações modernas de slogans deste tipo.

Sempre tive simpatia pela compaixão nas políticas públicas relacionada a drogas, e me achava bastante instruído sobre o assunto. Mas, depois de passar mais de três anos pesquisando para o meu livro Chasing Screams: The First and Last Days of the War on Drugs (Perseguindo gritos: os primeiros e últimos dias da guerra contra as drogas, em tradução livre), fiquei chocado ao descobrir - repetidas vezes - que eu também tinha caído na armadilha dos mitos.

Eis sete fatos que aprendi nessa jornada e que me chocaram. Eles nos forçam a olhar de forma diferente para a guerra contra as drogas, que já dura cerca de 101 anos.

Fato 1: De 85% a 90% das pessoas que usam heroína, crack ou metanfetaminas não se viciam.

Se você for a um bar lotado e olhar à sua volta, vai ver alguns alcoólatras (que precisam do seu amor e do seu apoio) - mas todos sabemos que eles são uma pequena minoria.

Mas isso não é verdade em relação às outras drogas, certo? Todo mundo sabe que a maioria das pessoas que usa heroína, crack ou metanfetaminas se vicia.

Essa questão foi estudada com cuidado por cientistas - e a resposta é que se trata de um mito. Como aprendi com Carl Hart, da Universidade Columbia, entre 85% e 90% das pessoas que usam qualquer tipo de droga não acabam viciadas.

Até mesmo o Escritório da ONU para Controle de Drogas - a principal entidade mundial ligada ao tema - admitiu que 90% de todo o uso atual de drogas proibidas não prejudica os usuários - apesar de o link ter desaparecido de seu site.

droga

Fato 2: Portugal descriminalizou todas as drogas - e o uso de drogas injetáveis caiu 50%.

Em 2000, Portugal atravessava uma enorme crise de drogas: 1% da população estava viciada em heroína. O país formou um painel de cientistas para analisar as evidências. Eles voltaram com a seguinte resposta: descriminalizar todas as drogas e, em vez de piorar a vida dos viciados, usar o dinheiro para melhorá-la.

Portugal criou um programa para dar emprego para os viciados, além de oferecer cuidados médicos.

O resultado? O uso de drogas injetáveis caiu 50%; as mortes por overdose tiveram queda significativa; pouquíssimos portugueses querem voltar à situação anterior.

Fato 3: A Suíça legalizou a heroína para viciados há mais de uma década. Nunca houve uma morte por overdose dessa heroína legal.

A Suíça também vivia uma crise de heroína. Sob uma presidente visionária - Ruth Dreifus --, o país decidiu fazer uma experiência. Se você é viciado em heroína, indicamos uma clínica onde você pode receber a droga de graça. O uso é supervisionado por médicos e enfermeiros. Você recebe apoio para se livrar do vício, arrumar um emprego e uma casa.

O resultado? Nunca houve uma morte por overdose dessa heroína legal - literalmente nenhuma (https://www.opensocietyfoundations.org/reports/mountaintops). Os crimes de rua caíram significativamente. A epidemia de heroína acabou.

Com o tempo, a maioria dos usuários da droga decidiu reduzir as doses e sair do programa - depois de encontrar um emprego e não se sentir mais estigmatizados, eles querem voltar a estar presentes em suas vidas.

"Quando se trata de drogas, podemos continuar vivendo num mundo de fantasia - e continuaremos tendo os mesmos resultados de sempre."

Fato 4: Um professor de Harvard calcula que o índice de homicídios cairia pelo menos 25% depois da legalização.

Quando você proíbe as drogas, elas não desaparecem, mas sim são transferidas de negócios legais para os criminosos. Se você tenta roubar de um negócio legalizado, pode procurar a polícia. Se tentar roubar de traficantes, eles não podem fazer o mesmo.

Negócios ilegais só conseguem sobreviver por meio de violência e ameaças de violência. Como disse o escritor Charles Bowden, a guerra contra as drogas gera uma guerra pelas drogas. O economista Milton Friedman, vencedor do Prêmio Nobel, calculou que essa dinâmica mata 10 000 pessoas por ano nos Estados Unidos.

O professor Jeffrey Miron estudou a queda significativa da taxa de homicídios depois do fim da lei seca. Usando esses dados, ele calculou que, quando a guerra contra as drogas acabar, o índice de homicídios vai cair entre 25% e 75%.

Fato 5: É muito mais fácil para os jovens conseguir drogas ilegais que drogas legais.

Em uma grande pesquisa, os jovens americanos disseram que era mais fácil conseguir maconha que cigarros ou cerveja. Na realidade, eles disseram que era duas vezes mais provável que eles conseguissem maconha que cerveja.

Por quê? Porque traficantes não pedem carteira de identidade. O comércio legalizado e licenciado tem muito a perder se vender para adolescentes. O comércio ilegal, não - um cliente de 13 anos vale tanto quanto um de 35 anos. A maioria dos defensores da legalização acredita que ela é uma maneira de impedir que jovens tenham acesso às drogas.

Fato 6: O vício não é causado primariamente pela droga que você consome; ele é causado pelo estresse.

Se 85%-90% das pessoas que usam drogas não se viciam, o que acontece com os outros 10%-15%? Agora sabemos que não são primariamente as drogas. Pense nos viciados em jogo. Eles são tão viciados quanto qualquer alcoólatra ou dependente de heroína - mas ninguém acha que você vá injetar uma roleta ou beber um maço de cartas.

O que causa o vício? Essa curta animação explica:

Fato 7: Quando as pessoas veem a reforma das políticas de drogas na prática, poucos querem voltar atrás.

Quando as pessoas ouvem falar pela primeira vez em descriminalização ou legalização das drogas, elas compreensivelmente acham que é muito arriscado. Mas, em todos os lugares em que se tentou, o apoio aumentou significativamente.

Por exemplo: um ano depois da legalização da venda de maconhas no Estado do Colorado, 58% da população apoiava a medida, e apenas 38% era contra.

Quando a Suíça -- um país muito conservador - teve de votar sobre um possível fim da heroína legalizada para viciados, 70% dos cidadãos decidiram manter a política em vigor - por causa dos notáveis resultados obtidos.

Quando se trata de drogas, podemos continuar vivendo num mundo de fantasia - e continuaremos tendo os mesmos resultados de sempre: uma epidemia de heroína catastrófica nos Estados Unidos, e jovens com acesso cada vez mais fácil às drogas.

Ou podemos fazer algo realmente original - algo que poucos de nós fizemos no último século. Podemos começar a olhar para os fatos.

Johann Hari é autor do best-seller Chasing Screams: The First and Last Days of the War on Drugs (perseguindo gritos: os primeiros e últimos dias da guerra contra as drogas, em tradução livre).

Este artigo é adaptado do livro, e essas ideias já apareceram em outras publicações. Aqui você encontra o que personalidades variadas como Elton John, Glenn Greenwald, Bill Maher, Dan Savage, B.J. Novak, Sam Harris e Naomi Klein disseram sobre o livro.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- É hora de dar fim a guerra às drogas e concentrar esforços em políticas públicas

- Descoberta a provável causa do vício. E não é o que você pensa

Também no HuffPost Brasil:

Close
As 6 drogas mais viciantes do mundo e o que elas fazem com você
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual