Huffpost Brazil
Livre Para Descobrir Headshot

Cardápio, brincadeiras, decoração... por que chamar os filhos para organizar a festa

Publicado: Atualizado:
DANI FOLONI
Divulgação
Imprimir

A jornalista Dani Foloni, criadora do site It Mãe, conta sobre os aprendizados da família toda quando sentam juntos para organizar as comemorações de aniversário

"Somos uma família festeira, que se envolve de verdade com os preparativos de qualquer comemoração que faz. Isso está no DNA. Minha mãe sempre caprichou na decoração e em todos os detalhes das festinhas - isso no anos 1980, quando não tinha essa enorme quantidade de serviços e lojas especializadas. Na verdade, quase não tinha nada além de lojas de enfeites de isopor.

Para fazer uma festa bonita e original, precisava colocar a mão na massa! Essa era a parte que eu mais adorava. Um mês antes, já estávamos lá, envolvidos na decoração, pensando em como seria o enfeite da mesa, a lembrancinha... Lembro de sentarmos à mesa de jantar com papel crepom, cola, cartolina para ajudar a mamãe a preparar tudo. Quando meus filhos nasceram, fiz questão de retomar a tradição das festinhas. Desde o primeiro aninho, eles estão presentes na organização e, agora que estão maiores - Bela fez 8 anos em julho e o Felipe fará 6 anos em setembro -, são cada vez mais protagonistas nos preparativos, começando a tomar suas próprias decisões livremente.

Eles escolhem comigo a lista de convidados, a decoração e as cores da festa, e montam a sacola de lembrancinhas. Para eles é uma grande brincadeira, enquanto para a gente é um momento de conexão, de troca de ideias, para incentivá-los a criar e a desenvolver autonomia.

Dizem que o melhor da festa é esperar por ela. Mas, mais do que esperar, acho que a curtição é organizar junto. Chegar no salão vazio e ir colocando cada enfeite, encher bexigas e ver a festa tomando forma não tem preço. Assim, eles brincam, descobrem e ainda aprendem: garantindo a participação das crianças, podemos ensinar a importância do envolvimento, da paciência e da dedicação para que a magia aconteça. Afinal, a festa é para eles.

Este ano, a Isabela fez desenhos dos personagens da festa para espalhar pelo salão. Foi uma brincadeira "trabalhosa", mas que a encheu de orgulho por ter sua arte decorando a própria festa. No ano passado, o Felipe ganhou uma festa de 5 anos com tema de futebol e deu a ideia de organizarmos um campeonato. O sonho dele era ver todos os amigos juntos jogando bola e ganhando medalhas. Demos um jeito de fazer o jogo acontecer e foi demais. Para as próximas, certamente mais ideias virão, porque eles já foram picados pelo bichinho da festa e querem, cada vez mais, participar e ter voz na hora das escolhas. Brincar de organizar uma festinha acabou virando um grande aprendizado.

Cada comemoração vai virando parte da nossa história. Com todo esse envolvimento, eles percebem como aquele dia em que ficam mais velhos é importante para todos nós. Espero que essas temporadas pré-aniversário fiquem guardada nas memórias afetivas dos meus pequenos como momentos de muito amor e diversão em família."

Este espaço integra o movimento #livreparadescobrir, lançado por OMO para estimular os pais a deixarem suas crianças brincarem mais, dentro e fora de casa, uma vez que isso é essencial para o desenvolvimento infantil.