Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Luciana Gontijo Headshot

Machismo detectado

Publicado: Atualizado:
Imprimir
tomazl via Getty Images
tomazl via Getty Images

"Sábado é dia de Estrelas", como já diria a propaganda. O programa que é apresentado por Angélica foi ao ar e, com ele, veio um punhal machista junto com a entrevista do cantor Naldo Benny, em 27 de fevereiro.

Estava tudo indo bem - não digo extremamente bem por ser apenas mais um programa da High Society que alimenta os sites de fofoca - até que a apresentadora resolveu perguntar para a dançarina Ellen Cardoso se seu marido, o cantor Naldo Benny, é "o tipo de pai que brinca ou que cuida, troca fralda e tal" e ao ouvir que "ele cuida, só não sabe trocar fralda", diz que ele é do tipo de pai que só brinca.

Agora vamos pensar nas mães: e se perguntassem à Ellen se ela é do tipo de mãe que só amamenta ou se é do tipo que só brinca, que repercussão teria se a mulher tivesse a liberdade social de escolher o papel que iria desempenhar na vida do filho?

Sempre ouvi que a mulher possuía o "instinto materno" e que "a mulher nasce para ser mãe". Que instinto é esse que não da liberdade para a mulher poder ser o que simplesmente é sem ter que satisfazer alguém? Isso não soa como natural.

Alguns dias atrás, por exemplo, Juliana Reis colocou sua opinião sobre o #desafiomaternidade, que tinha o intuito da mulher postar fotos que a faziam se sentir como mãe e acabou rejeitada pelos internautas por dizer o que era fora do usual de se ouvir.

Lamento informar, mas a mulher não nasceu para ser mãe, cozinheira e nem para agradar ao homem. O melhor é ouvir que "fulana é mãe solteira", como se fosse realmente um status de relacionamento. Por onde andam os pais solteiros então? Não sei vocês, mas eu nunca cruzei com um.

Machismo detectado.

O pai de fim-de-semana ser o brincalhão e a mulher ficar com as responsabilidades. Assim eu também quero! Falo por mim, fui criada em uma casa machista na qual as mulheres ficavam com as tarefas domésticas e o homem não, sem contar com as inúmeras pessoas que me fizeram acreditar por muito tempo que todas nós devíamos ser "mulheres de valor".

Termino esse texto com o seguinte questionamento: onde estão os homens de valor? Instinto paterno existe? Para as mães: vocês já receberam pensão alimentícia? Se sim, quando foi a última vez?

LEIA MAIS:

- Sobre amores que se vão

- O efeito 'cara pálida'

Também no HuffPost Brasil:
Close
Por que o feminismo é importante
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual