Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Rafael Alves de Oliveira Headshot

Estamos vivendo uma Ditadura novamente?

Publicado: Atualizado:
PROTESTS STUDENTS BRAZIL
ASSOCIATED PRESS
Imprimir

Alunos algemados.

Polícia prendendo ator que critica a polícia.

Um presidente derrubado.

Cunha solto, Serra blindado pela imprensa.

O juiz que lidera a Lava Jato é filho de um fundador do PSDB.

Alex Costa de Oliveira, da Vara da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Distrito Federal determinou corte de água e energia, isolamento físico e utilização de instrumentos sonoros para impedir o sono dos alunos de um colégio de Taguatinga. As técnicas, diz o juiz, servirão "como forma de auxiliar no convencimento à desocupação".

Tais técnicas, convém lembrar são usadas como forma de tortura pela CIA.

Direitos cortados.

Se você pensa em protestar com greve, pense de novo. Você terá seu ponto cortado e ficará sem salário.

Estamos vivendo uma Ditadura novamente e só não vê quem não quer. O que mais precisa acontecer para entenderem que vivemos em uma uma? O AI 5? Não sejam tolos, ele veio em 68, a Ditadura começou em 64.

Se 2016 foi um ano terrível para o País (e verdade seja dita, pessoalmente meu ano foi excelente), 2017 promete ser ainda pior.

O Congresso não foi fechado pois isso afastaria capital estrangeiro. Mas não duvidem se for fechado ano que vem.

Temer deve cair como já se ventila pelos corredores de Brasília. Algum tucano assume.

Lula precisa ser preso ou não teremos eleições presidenciais como já disse alguns artigos atrás.

MBL agora é um grupo que age como força paramilitar. Eles descobriram que um celular na mão e uma edição engraçadinha convence muito mais do que ficar falando sobre a natureza do processo democrático. Então eles fazem assim: ligam a câmera, provocam, humilham, xingam, desrespeitam, atacam sua honra, falam mal de sua família, de sua orientação política e te agridem física, moral e eticamente. Quando você revida, é essa a parte que vai parar no Facebook. Então eles fazem caras de coitados e você tem sua vida revirada de toda forma e fica com a fama de intolerante, perdendo emprego e sofrendo bulling.

Agora o último passo foi dado entretanto.

Reinaldo Azevedo, um ser humano profundamente problemático, escreveu hoje em seu blog no site da Veja sobre como acabar com as ocupações escolares do país. Em suas palavras:

Sabem a melhor coisa a fazer, em todas as esferas? Declarar encerrada qualquer forma de diálogo. Que os invasores apodreçam dentro dos prédios. Mas que lhes sejam cortados água, luz, telefone...

Que os invasores apodreçam sem água, luz e telefone.

Ele continua pedindo que a polícia seja colocada na porta das escolas e que esta impeça que ninguém mais entre, apenas saia. A solução é deixar os alunos sem comida também.

Isso não pode ser chamado de ser humano. Nem de animal. Eu tenho uma linda cachorrinha, Chilli, que vive junto de sua mãe Malu.

Certa vez Malu passou um fim de semana fora de casa, passeando, e quando voltou, veio correndo ver como a Chilli estava e regurgitou comida a sua filhotinha.

(Cadelas fazem isso a seus filhotinhos para se certificar de que não estão com fome).

Quer dizer, até um cão tem a decência de não deixar outro cão morrer de fome. Reinaldo Azevedo consegue ser infinitamente pior que um cão.

Mas agora vem a parte assustadora, já que escrevo no dia do Halloween. São milhares, milhões os que concordam com isso.

Tenho parentes que concordam. Colegas que concordam. Conhecidos que concordam. Conheço professores que concordam.

Há um exército que aplaude tudo isso, e é esse o motivo pelo qual a ditadura voltou tão forte quanto nos anos 60.

Por que o povo quer.

Um povo que, bovinamente espera que um milagre caia do céu. No momento esse milagre se chama Temer. Ou melhor, qualquer um que se declare antipetista. Há quem creia que isto salvará o país.

A este tipo de povo, Hannah Arendt chama de Ralé. Uma camada idiotizada a ponto de crer em salvador da pátria.

Há gente assim na esquerda também, verdade seja dita, mas cansei de brigar com a esquerda. Eu sou parte da esquerda e já estou com o lombo ardendo de tanta gente me xingando.

O fuzil enferrujado do militar saiu de cena e agora a toga do juiz, bem como o microfone da imprensa, fazem o trabalho sujo.

Até quando?

LEIA MAIS:

- Por que a eleição de Trump nos deixou tão mal?

- O que estamos aprendendo com as ocupações estudantis?

Também no HuffPost Brasil:

Close
Temer e líderes mundiais
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual