Huffpost Brazil
BLOG

Apresenta novidades e análises em tempo real da equipe de colaboradores do HuffPost Brasil

Xenya Bucchioni Headshot

Em que tipo de aprendizagem você acredita?

Publicado: Atualizado:
SCHOOL
maroke via Getty Images
Imprimir

2016-06-16-1466105009-7263051-14279681562_d0c729b822_z.jpg

Há algumas semanas atrás, pedi a alguns amigos e aos amigos de amigos para responderem uma breve pesquisa que trazia a seguinte reflexão: "qual a aprendizagem que você acredita?". Essa pergunta tem sido minha companheira ao longo deste ano - período em que, além de preparar a minha tese de doutorado para o exame de qualificação, também venho me debatendo com as possibilidades de atuação profissional.

Quanto mais perto do fim o doutorado se aproxima, mais dúvidas abrem-se no horizonte. Embora o ambiente da universidade pública, no qual eu me encontro, seja extremamente importante, atualmente sinto uma espécie de deslocamento neste espaço com o qual eu costumava ter uma imensa identificação. Seria o reflexo de anos de precarização do ensino, da pesquisa e da extensão? Ou a dificuldade de diálogo com a sociedade e a falta de participação democrática nas engrenagens das Instituições? Seria, ainda, o excesso de corporativismo, a suposta falta de interesse dos alunos ou o sistema avaliativo da Capes?

Cada pergunta gera espaço para outras tantas e, por mais que se faça um esforço para reponde-las, nenhuma dá conta de explicar o desajuste. Afinal, todas apontam para fora. E o meu desconforto, o incômodo, o "algo estranho que não sei definir" vem de dentro. Às vezes é um nó na garganta, um embrulho no estômago, o olho que arde. Dá-lhe remédio! Mas a verdade é que nenhum remédio cura aquele sentimento represado nas profundezas do nosso ser. Para isso acontecer de fato, é preciso abrir a "caixa secreta". E para fazer isso, por sua vez, é preciso, antes de tudo, falar, falar e falar.

É, assim, falando, falando e falando que venho conseguindo colocar o "algo estranho que não sei definir" para fora. Primeiro na terapia. Depois com os amigos e, então, com os amigos dos amigos até chegar na ação de disparar uma pesquisa sobre aprendizagem que, no final das contas, é uma pequena parte desse intenso e enorme processo de abertura e mudança (em andamento!).

O resultado de transformar essa pergunta individual em um questionamento coletivo foi a crença de que juntos podemos trocar, dividir e compartilhar conhecimentos, vivências e experiências que nos contem mais sobre nós mesmos e sobre o mundo. São em momentos de partilha como esse que reconhecemos aquilo que há de único e especial em cada um de nós.

Inspirada por essa caminhada, aproveito para registrar, aqui, a lista de referências de processos de aprendizagem inspiradores gerada coletivamente por essa ativação individual-coletiva:

E você? Qual a aprendizagem que você acredita? Conte pra gente nos comentários!

LEIA MAIS:

- 'Pensa um menino da zona rural querendo ser fotógrafo e viajar o mundo. Não era assim antes'

- Os arquivos ainda estão fechados

Também no HuffPost Brasil:
Close
Ideb: Como está a educação no seu Estado?
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual